O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Toinho Andrade, usou a tribuna para propor um pacto com os colegas deputados portuenses Valdemar Jr. e Ricardo Ayres, para a instalação de 10 leitos de UTI em Porto Nacional para o enfrentamento à Covid-19.

O deputado Ricardo Ayres entrou em contato com o prefeito de Porto, Ronivon Maciel, que se engajou de imediato à proposta e deve ir, junto com os demais, se reunir com o governador Mauro Carlesse.

Toinho Andrade sugeriu, também, a compra direta de vacinas contra a Covid-19 pelo município, por meio de emendas impositivas.

O parlamento tocantinense precisa de ações como esta para resolver, de fato, as pendências do sistema de Saúde no Estado.

Os envolvidos na iniciativa estão de parabéns e os portuenses agradecem.

 

GOVERNO DO ESTADO ANTECIPA SALÁRIOS


Pelo terceiro mês consecutivo, o Governo do Tocantins paga os servidores dentro do mês trabalhado. Os salários referentes ao mês de fevereiro serão creditados nas contas neste sábado, 27. Para esta folha, foi destinado o montante líquido de R$ 178.433.985,35, o que cobre os contracheques dos servidores ativos e pensionistas.

Retornar o pagamento para o 1º dia útil do mês seguinte ao trabalhado é uma meta pretendida desde que o governador Mauro Carlesse assumiu a administração estadual. Logo após sua posse, os servidores passaram a receber seus salários novamente no início do mês. Até então, o limite para execução da folha era até o 12º dia do mês subsequente ao trabalhado. “O rigor na organização das finanças públicas é o que está possibilitando cumprir essa obrigação para com os servidores em dia e até mesmo disponibilizando o salário ainda no mês trabalhado”, conclui o Governador Mauro Carlesse.

Para evitar aglomerações nas agências bancárias em tempo de pandemia, o Governo do Tocantins reforça a orientação para que os servidores priorizem as transações por meio de ferramentas eletrônicas, como aplicativos dos bancos e, se não for possível, tomem todas as precauções para evitar riscos de contágio com a Covid-19.

 

CÂMARA FEDERAL ACELERA MINIRREFORMA POLÍTICA


O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, tem com uma de suas prioridades a realização de uma minirreforma política que, para ter validade, precisa ser aprovada na Câmara e no Senado.

A ação pode ser uma forma de tentar salvar mandatos, pois não está descartada a volta das coligações proporcionais com outra plataforma e o voto distrital.

A proposta encontra resistências e o prazo para as possíveis mudanças se encerra em dois de outubro. A coligação proporcional dificilmente voltará, mas um modelo parecido pode ser uma proposta de consenso, desde que salve os mandatos da maioria dos atuais detentores de mandato na Câmara, onde o “calafrio” é geral com as atuais regras, principalmente em meio aos partidos nanicos.

 

STF E TSE DE OLHO NAS AÇÕES DE LIRA


Os membros do STF e do TSE estão monitorando as articulações do presidente da Câmara, Arthur Lira, que é réu no STF.

Lira busca um entendimento entre os membros do centrão para uma reforma constitucional que limita a possibilidade de interferência do Poder Judiciário no Congresso.

Caso sinta que Lira tenha pretensões mais audaciosas, o STF pode colocar em pauta o processo existente contra Lira, para que o Pleno “corte as asas” do presidente da Câmara, pois, se condenado, não pode permanecer no comando da Casa de Leis, assumindo o posto o seu vice, Marcelo Ramos, do PL do Amazonas.

 

NÃO É MOMENTO PARA FILIAR A UM PARTIDO PARA SER CANDIDATO PROPICIONAL

A prioridade de Arthur Lira para este semestre é a aprovação das regras das eleições de 2022 que podem vir com mudanças, o que transforma todo o momento anterior à aprovação inadequado para que aqueles com pretensões de disputar as eleições no ano que vem, tomem qualquer atitude acerca de uma mudança partidária.

Os apressados costumam “comer cru”.
Mesmo assim, estão abertas as tratativas de possíveis “dobradinhas” e a temporada de aproximação com o eleitorado, demarcando território na busca de votos que serão sempre fundamentais.

 

PEC DA IMPUNIDADE


Ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) reagiram à apresentação de projeto na Câmara que regulamenta um artigo da Constituição sobre prisão de deputados e imunidade parlamentar e passaram a se referir à medida como “PEC da impunidade”.

Magistrados da Corte afirmaram que a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) cria um “sistema superprotetor" a parlamentares e “transforma a imunidade em impunidade”. A avaliação dentro do Supremo é a de que a aprovação da proposta pode gerar mais um embate institucional entre o Legislativo e o Judiciário.

Nos bastidores do tribunal, a proposta tem sido vista como “vergonhosa”. Ministros disseram à CNN, em caráter reservado, que o texto encampado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e assinado por uma comissão suprapartidária, pode ser considerado, em parte, inconstitucional.

 

EXPLOSÃO DA COVID-19 NO AMAZONAS


Ainda que o mês de fevereiro ainda não tenha acabado, o estado do Amazonas já registrou mais mortes por Covid-19 em 2021 do que no ano passado.

Até o dia 23 de fevereiro, o estado registrou 10.573 mortes em decorrência da doença - sendo que 5.288 foram registradas apenas neste ano, enquanto 5.285 foram contabilizadas do início da pandemia até o dia 31 de dezembro de 2020.

Segundo o boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde do estado, o Amazonas registrou, além das mais de 10 mil mortes, 309.311 casos confirmados da Covid-19. Apenas em 2021, foram contabilizadas 108.298 infecções. Em 2020, foram 201.013 - ou seja, em menos de dois meses, este ano já registrou quase metade dos casos confirmados de março a dezembro de 2020.

 

SENADO APROVA FACILITAÇÃO PARA COMPRA DE VACINAS


O Senado aprovou hoje um projeto de lei que facilita a compra de vacinas contra a covid-19 pela iniciativa privada. De acordo com o texto, as empresas devem doar ao SUS (Sistema Único de Saúde) todas as vacinas que adquirirem, enquanto não terminar a imunização dos grupos prioritários previstos no PNI (Plano Nacional de Imunização), do Ministério da Saúde.

O projeto de lei prevê que, após a imunização desses grupos, as empresas têm como obrigação doar ao SUS pelo menos 50% das doses que comprarem. Elas podem ficar com os 50% restantes, porém esses imunizantes devem ser administrados de forma gratuita — não pode haver comercialização. O projeto de lei agora vai para votação na Câmara dos Deputados.

 

ESTADOS E MUNICÍPIOS TAMBÉM PODERÃO COMPRAR


O Congresso Nacional age como mediador, facilitando a aquisição de vacinas por estados e municípios.

Os presidentes da Câmara e do Senado estão atuando para destravas a economia, com a volta do auxílio emergencial, mesmo que em valor menor, possibilitando as privatizações e outras ações afins para, quando a população estiver, pelo menos, 60% vacinada, a economia volte a fluir.

A ordem é facilitar e aumentar o acesso à vacina e trabalhar para que as medidas restritivas diminuam com o aumento da imunização.

 

PRIVATIZAÇÃO DOS CORREIOS


Após entregar ao Congresso a Medida Provisória que acelera a privatização da Eletrobras, o governo pretende entregar ainda nesta semana em gesto semelhante o projeto de lei que privatiza os Correios.

“Pretendo levar o projeto dos Correios ao Congresso hoje ou amanhã. Dependemos apenas da agenda do presidente que foi ao Acre hoje”, disse o ministro das Comunicações, Fabio Faria.
Segundo ele, a ideia é que, assim como a MP da Eletrobras, o presidente Jair Bolsonaro também entregue a proposta ao Legislativo.

A pasta entregou um esboço da proposta ao Palácio do Planalto em outubro, mas ele nunca foi encaminhado.

Nesta terça-feira, o analista da CNN Igor Gadelha noticiou que Bolsonaro tinha sido aconselhado por auxiliares a enviar ainda nesta semana tanto a MP da Eletrobras quanto o projeto sobre a privatização dos Correios. O envio seria um aceno ao mercado financeiro, que reagiu mal à troca no comando da Petrobras.

 

Posted On Quinta, 25 Fevereiro 2021 05:23 Escrito por

AGUARDANDO EDUARDO GOMES

Detentores de mandatos em território tocantinense nos Executivos e Legislativos municipais, pré-candidatos a deputado federal e estadual, dirigentes partidários, empresários, comerciantes, lideranças religiosas e seguidores do senador Eduardo Gomes aguardam com ansiedade sua chegada, no próximo fim de semana, para ouvir seu posicionamento acerca da sua candidatura ou não ao governo do Estado ou quem ele irá apoiar.

Nos bastidores, Gomes prefere só falar sobre sucessão estadual a partir do próximo semestre, mas é certe que, seja qual for seu posicionamento, ele servirá para nortear muitas candidaturas, apoios e engajamentos.

 

FATOS POLÍTICOS INDICAM INDEFINIÇÃO POLÍTICA EM PALMAS

 

A cada momento vivenciamos fatos políticos em Palmas e no Tocantins que nos levam a acreditar que é muito cedo para fazer apostas em candidaturas ou intenções políticas para o governo do Estado.

Por enquanto, ninguém tem um grupo político definido.  Alguns estão formando esses grupos, outros pegando carona e outros nem partido, sequer, têm.

Juntando-se a isso as prováveis fusões partidárias e as mudanças de partido previstas para este semestre e as adesões de prefeitos e ex-prefeitos aos grupos em formação, apostar em nomes de candidatos ao governo e ao Senado transfo9rma-se em puro jogo de adivinhação, amadorismo ou “tiro no escuro” com 99,9% de chances de errar.

 

IMBRÓGLIO EM PALMAS

O assunto do momento na Capital são as discussões, as notas e a s indiretas, via redes sociais, envolvendo a prefeita, Cinthia Ribeiro, o líder do governo estadual na Assembleia, deputado Ivory de Lira e o pedido de impeachment contra Cinthia protocolado na Câmara Municipal de Palmas.

Esse será nosso assunto no próximo “panorama político”, pois, enquanto “trabalha-se” muito nas redes sociais, a Saúde, em Palmas, caminha para um colapso...

 

GOLAÇO DE COTRIM

Nossa amiga, jornalista Maju Cotrim, foi muito feliz na escolha do comunicador Diogo Costa para titular da coluna social dA Gazeta do Cerrado.

Diogo é um ser humano humilde, muito comunicativo e cheio de alegria, além de muito querido e competente, com ótimo trânsito na sociedade palmense e tocantinense.

Desejamos muito sucesso ao amigo.

 

BOLSOLNARO PODE BAIXAR PREÇO DE COMBUSTÍVEIS E REVER FUNÇÃO DO BB

O presidente Jair Bolsonaro, após trocar o comando da Petrobras, pode iniciar uma série de intervenções em órgão e empresas estatais, principalmente o Banco do Brasil, que vem auferindo lucros exorbitantes aos investidores internacionais sem atender a sua função principal que é fomentar empresas nacionais.

O alto custo dos combustíveis e da energia elétrica, em um momento em que o mundo passa por uma pandemia, o presidente considera que a vida dos brasileiros precisa ser melhorada de alguma forma e o custo de vida pode ser aliviado.

A tendência é que o governo intervenha para coibir tais abusos fora da curva.

 

HARMONIA ENTRE OS PODERES

A postura de Jair Bolsonaro no caso de Daniel Silveira tem a ver, no primeiro plano, com uma busca por bom relacionamento com os demais Poderes e pelo cultivo de uma base radical que pode colocá-lo em um eventual segundo turno da disputa de 2022. "Ao ficar em silêncio, ele não desagrada o setor mais fiel, como também não cria atrito com o STF", analisa o sociólogo e cientista político Paulo Baía, da UFRJ.

Por outro lado, o jogo duplo do presidente - moderado em Brasília e apoiador de radicais nas redes - é um método por meio do qual ele não desperdiça a oportunidade de propagar sua forma de fazer política. É um estilo que exige vigilância permanente, segundo adversários, por causa dos arroubos que o acompanham desde a época nos quartéis. Na avaliação do ex-senador Cristovam Buarque, Bolsonaro tem uma preocupante "vocação autoritária".

 

BOLSONARO PROMETE MAIS TROCAS

 

Depois de indicar um novo nome para o comando da Petrobras e avisar que na próxima semana fará novas trocas no governo, o presidente da República, Jair Bolsonaro, sinalizou no período da tarde deste sábado, 20, que a outra mudança citada por ele durante o dia a ser anunciada será de peso e envolverá o seu primeiro escalão. "A gente vai fazendo as coisas, vai mudando, vai melhorando. Eu não tenho medo de mudar, não. Semana que vem deve ter mais mudança aí para... E mudança comigo não é de bagrinho, não, é tubarão", disse a apoiadores após participar de evento militar em Campinas (SP).

Bolsonaro não disse qual "peixe grande" do governo pode deixar o cargo. No vídeo com a fala do presidente, divulgado por um canal do Youtube, ele é questionado se algum ministro cairá. Ele desconversou e só disse que o questionamento "não foi inteligente".

 

GENERAL “PREPARADO”

Moderado e com fama de bom gestor, o general Joaquim Silva e Luna, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir o comando da Petrobras, disse que está pronto para a "missão" e que é preciso equilíbrio nas discussões sobre preços de combustíveis.

Uma alta de 15% nos preços do diesel da Petrobras nesta semana, que resultou em críticas de Bolsonaro ao atual CEO da empresa, Roberto Castello Branco, acabou disparando a indicação de Luna na sexta-feira e acentuando temores de interferência do governo na empresa.

Em entrevista à Reuters, Luna minimizou essas preocupações, ressaltando que pretende focar na geração de resultados com o apoio da diretoria executiva.

Ao ser convidado para o cargo na sexta-feira pelo presidente, ele disse que está pronto para "nova missão e para o combate", revelou.

 

ANTECIPAÇÃO PARA AQUECER ECONOMIA

O governo quer garantir uma injeção de R$ 57 bilhões na economia brasileira com a antecipação do 13º de aposentados e pensionistas do INSS e do abono salarial, uma espécie de 14º salário a trabalhadores com carteira que ganham até dois salários mínimos. As duas medidas não têm impacto nas contas porque só alteram o calendário de um pagamento já previsto para o ano, mas devem ajudar a segurar os efeitos negativos do recrudescimento da pandemia de covid-19 sobre a atividade econômica.

A antecipação do abono é a única medida que já saiu do papel, com repasses que podem chegar a R$ 7,33 bilhões. Já o pagamento adiantado do 13º dos beneficiários da Previdência ainda depende de uma definição sobre o calendário. Cada parcela representa uma injeção de cerca de R$ 25 bilhões, segundo apurou o jornal O Estado de S. Paulo. A proposta em estudo é repetir a antecipação das duas parcelas, já realizada no ano passado.

 

CENTRÃO DEMONSTRA UNIDADE E INTEGRAÇÃO

Os deputados que compõem o centrão mostraram unidade, votando em peso pela manutenção da prisão do deputado carioca Daniel Silveira, do PSL.

O deputado teve mandado de prisão expedido por ordem do STF e o presidente da Câmara Federal, Arthur Lira, comandou uma votação com total lisura e transparência, que serve como recado ao Planalto e à Justiça de que os deputados federais não se sujeitarão a ser apenas “carimbadores de orçamento”, muito menos ficarão sob o comando do Judiciário a respeito das mudanças constitucionais pretendidas para possibilitar possíveis interferências da Justiça no Congresso Nacional.

 

EMPRESÁRIA PARA PRESIDENTE

A empresária Luiza Trajano, de 69 anos, presidente do Conselho de Administração da Magazine Luiza, se consolidou como uma voz do meio empresarial com forte influência entre dois dos potenciais candidatos ao Palácio do Planalto em 2022: o apresentador de TV Luciano Huck e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Ao mesmo tempo, por ter um perfil considerado progressista que atrai partidos como PT e PSB, é vista por líderes petistas como o novo nome do "capital" que poderia compor uma chapa presidencial nos moldes da dobradinha eleita em 2002, entre Luiz Inácio Lula da Silva e José Alencar - que tentou ser repetida na eleição passada com o filho do empresário mineiro, Josué Gomes da Silva.

Luiza Trajano ainda não recebeu convite formal para entrar na vida partidária e nega que tenha pretensões eleitorais, mas, mesmo assim, viu seu nome entrar com força também no radar das articulações que buscam um(a) "outsider" para a próxima disputa presidencial.

Amiga e interlocutora de Huck e Doria, a empresária mantém uma militância múltipla e intensa. Foi fundadora e lidera simultaneamente os movimentos "Mulheres pelo Brasil", com bandeiras feministas e "Unidos pela Vacina", além de atuar no Instituto de Desenvolvimento do Varejo (IDV), entidade que fundou ao lado do empresário Flávio Rocha, da Riachuelo.

 

CRISE NO DEM AFASTA HUCK

A vitória de Arthur Lira (Progressistas-AL) na Câmara dos Deputados reforçou a percepção no grupo mais próximo a Luciano Huck de que é necessário construir uma estrutura partidária consistente para viabilizar o projeto presidencial do apresentador e empresário. No cálculo para uma eventual candidatura ao Palácio do Planalto são levadas em conta fusões de legendas e um arranjo que sustente a proposta de um centro liberal e democrático, capaz de se contrapor à polarização entre bolsonaristas e petistas. Desde o ano passado, ao menos quatro partidos já sondaram Huck.

Com o DEM fragmentado e mais governista, uma opção que passou a ser avaliada com atenção extra por aliados do apresentador é o PSB. As conversas ocorrem desde o ano passado e têm sido estimuladas pelo prefeito do Recife, João Campos (PSB), e por sua namorada, a deputada federal Tabata Amaral (SP), que está rompida com seu partido, o PDT. Tabata tem relação próxima com Huck e foi a ponte entre ele e Campos. Os dois jovens políticos integram o RenovaBR, grupo de renovação e formação política que tem o apoio do apresentador.

 

MAIA QUER SAIR DO DEM

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse ao Estadão que planeja apresentar seu pedido de desfiliação do DEM até o fim do mês. Maia vai fazer o pedido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) alegando "justa causa", já que ficou sem condições de permanecer na legenda depois dos embates públicos que teve com o comando do partido durante a eleição para a presidência da Câmara.

Assim que for enviado, o recurso precisará ser analisado pelo TSE para saber se há procedência no pedido. Pela lei de fidelidade partidária, Maia só poderá mudar de sigla se o tribunal considerar que há um motivo forte o suficiente que justifique isso. Do contrário, perderá o direito ao mandato parlamentar se deixar o DEM.

A princípio, havia até a intenção da direção do partido de permitir que Maia deixasse a legenda, sem reivindicar o seu mandato. Mas, com o acirramento da briga com o presidente do DEM, ACM Neto, de quem criticou o "caráter", isso foi colocado de lado.

 

GOVERNADORES QUEREM COMPRAR VACINAS

Um grupo de governadores anunciou que tentará realizar compra de vacinas contra a covid-19 diretamente com os laboratórios. A decisão foi anunciada pelo governador do Piauí, Wellington Dias (PT), que disse contar com o apoio de outros 16 governadores. Um ofício foi enviado ao Instituto Butantan para conhecer o cronograma e a capacidade de produção.

"Nossa responsabilidade é garantir mais vacinas para imunizar a população mais cedo. Nossa meta é alcançar 25% da população imunizada em abril. É isso que vai reduzir hospitalização e óbito. É isso que vai salvar vidas", disse Dias em vídeo divulgado pela sua assessoria de imprensa. Até esta sexta-feira, o Brasil havia vacinado 5,7 milhões de pessoas, o que representa 2,7% da população total.

Segundo Dias, a decisão de buscar alternativas para o fornecimento de vacinas foi comunicada ao Ministério da Saúde, que teria aberto a possibilidade de reembolsar os Estados pela aquisição. Aprovaram a compra direta das vacinas os Estados do Piauí, Espírito Santo, Amapá, Pará, Rio Grande do Sul, Amazonas, Paraíba, Paraná, Ceará, Mato Grosso do Sul, Goiás, Maranhão, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Acre e Bahia.

 

Posted On Terça, 23 Fevereiro 2021 06:53 Escrito por

AS VOLTAS QUE O MUNDO DÁ: OS "INSUBSTITUÍVEIS"

Recomenda-se todo cuidado aos que se encontram no andar de cima do poder e acham que isso é permanente, vitalício, e se distanciam das suas bases políticas, desvalorizando aqueles que lhe deram um mandato.
2022 se aproxima...
Rodrigo Maia, João Dória e ACM Neto servem de exemplo. A humildade não ganha os holofotes, as manchetes de jornal nem dão Ibope na mídia, mas garante a permanência no poder.
Sem combinar com os eleitores, muitos projetos políticos serão sepultados com os resultados das urnas em 2022.
O tempo dirá.

 

POLÍTICAS PUBLICAS VOLTADA PARA MULHERES E JOVENS TERÃO REFLEXO EM 2022


A classe política – governo do Estado e Assembleia Legislativa – até hoje não conseguiu uma política governamental legítima voltada para as mulheres e para os jovens que, juntos, representam quase 60% do eleitorado tocantinense apto a votar nas eleições do ano que vem.
É bom observar que muitos deles buscam uma colocação no mercado de trabalho, mas não têm qualificação.
Sebrae, Senac, Fieto e outras instituições, juntas, em parcerias com o governo (que agiria como agente financiador, neste caso), poderiam estar oferecendo vários cursos profissionalizantes à essa parcela significativa da população.
A necessidade ficou notória ao sabermos que empresas instaladas no Tocantins e em estados vizinhos, buscam operadores de máquinas em outros estados.
Ainda há tempo de corrigir.
Fica a dica.

ELEIÇÃO PROPORCIONAL COM MAIS DE 500 CANDIDATURAS


Tendo em vista a sucessão estadual vir a ter mais de 500 candidaturas a deputados federal e estadual, se as regras não mudarem até o início de outubro, com o fim das coligações, os partidos terão que investir em, no máximo, 12 candidatos a deputado federal e 36 a estadual, para, juntos, somarem quociente eleitoral para eleger seus representantes na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa.
Sempre lembrando das cotas para candidaturas femininas.
Dificilmente algum candidato conseguirá sua eleição sem depender dos votos da legenda.
Isso é fato, não é fake News!

PRISÃO DE DEPUTADO É RECADO DA SUPRE MA CORTE


O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, atua como bombeiro junto ao Palácio do Planalto, apelando ao presidente Jair Bolsonaro para que fique de fora do assunto.
Emissários de vários lados trabalham por uma saída sem desgaste institucional para o parlamento e para o Poder Legislativo.
Porém o recado foi dado pelo Supremo – e por unanimidade – tanto ao Palácio do Planalto quanto ao Congresso Nacional: tudo tem limite.
E o recado foi muito bem entendido!

 

RELATOR PEDIRÁ MANUTENÇÃO DA PRISÃO


O deputado federal Carlos Sampaio irá elaborar um relatório pedindo a manutenção da prisão do deputado federal Daniel Silveira.
Ele foi escolhido relator na noite desta quinta-feira e terá menos de 24 horas para elaborar o texto que será apreciado pela Câmara dos Deputados nesta sexta-feira às 17 horas.
Sampaio é promotor de justiça e já relatou casos polêmicos na Câmara, como o pedido de cassação do então presidente do PP, Pedro Correa, no escândalo do mensalão. No caso Daniel Silveira, já disse haver limites para a liberdade de expressão. Ele, porém, pretende dar um embasamento jurídico no relatório.
Tratará inclusive dos dois pontos polêmicos e controversos do mandado de prisão do ministro Alexandre de Moraes. Uma, o fato de ser um mandado de prisão em flagrante. Outro, se se trata de crime inafiançável.

 

PF APREENDE DOIS CELULARES NA CELA DE SILVEIRA


A Polícia Federal apreendeu dois aparelhos de telefone celular nesta quinta-feira (18) durante uma vistoria na cela do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), detido na Superintendência da PF no Rio de Janeiro desde terça-feira (16).

A informação é da âncora da CNN Daniela Lima. A apreensão dos aparelhos foi informada pela Polícia Federal ao Supremo Tribunal Federal (STF). Será aberto um inquérito para apurar como o deputado mantinha dentro da cela dois aparelhos de telefone.
Nesta quinta, o juiz Airton Vieira, indicado pelo ministro Alexandre de Moraes, realizou a audiência de custódia de Daniel Silveira e decidiu manter o deputado federal preso.
A decisão de Moraes, que determinou a prisão de Moraes em flagrante, foi referendada por unanimidade pelo STF e agora precisará ser analisada pelo plenário da Câmara.
Encontrar celulares com presos comuns em presídios de segurança máxima é fato corriqueiro, mas em cela especial da Polícia Federal??!!
Agora é descobrir quem levou!!

 

GUEDES, LIRA E PACHECO FECHAM PACTO POR REFORMA E AJUDA EMERGENCIAL


O presidente Jair Bolsonaro, em conversa com o ministro da Economia, Paulo Guedes, pediu para acelerar o envio do projeto concedendo ajuda emergencial aos cidadãos e a reforma tributária.
Bolsonaro conversou, também, com os presidentes da Câmara, Arthur Lira, e do Senado, Eduardo Pacheco, dando sinal verde para a colocar em votação, no máximo até 15 de março a aprovação da ajuda emergencial, e mandar para as comissões o projeto da reforma tributária, coma unificação do ICMS.
Trocando em miúdos, Bolsonaro quer destravar as votações e aprovações dos projetos de interesse do Executivo e do Brasil.

 

GOVERNO DE MAURO CARLESSE DEVE ANUNCIAR BOAS E NOVAS NOTÍCIAS AINDA ESTE MÊS


Segundo apurado por O Paralelo 13, o governador Mauro Carlesse, juntamente com o senador Eduardo Gomes, líder do governo de Jair Bolsonaro no Congresso Nacional, estarão dando a largada a várias frentes de trabalho no Tocantins.
Dentre elas a revitalização do Projeto Rio Formoso, a construção de dezenas de pontes, a construção do aeroporto no Jalapão, na cidade de Mateiros e outras novidades positivas guardadas “a sete chaves”.
Apesar dos efeitos negativos da pandemia, o governo do Estado vem preparando uma grande arrancada para este semestre, que tenha reflexos claros na economia do Estado e dos 139 municípios.
Uma distribuição de máquinas pesadas aos prefeitos já está programada para ocorrer ainda este mês.

 

CANDIDATURA DE MAURO CARLESSE AO SENADO JÁ É FATO


O governador Mauro Carlesse prepara terreno para ser candidato a senador, concorrendo à única vaga que estará em aberto nas eleições de 2022.
Porém algumas dúvidas pairam nas rodas políticas: Carlesse renuncia nove meses antes ou não? Wanderlei Barbosa será o candidato a governador do Palácio Araguaia? E, finalmente, por qual partido Carlesse se candidatará?

 

RONALDO DIMAS AJUSTA NOVO GIRO NO ESTADO


O pré-candidato a governador e ex-prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, após passar por Brasília, chegou em Araguaína e realizou uma reunião com seus principais colaboradores nesta última quarta-feira, ajustando sua agenda para mais um giro pelo Estado para visitar amigos, aliados e futuros candidatos aos Legislativos Federal e Estadual.
Dimas faz questão de visitar os 139 municípios do Tocantins, conversando sobre o futuro do Tocantins e colhendo subsídios para a elaboração do seu plano de campanha e projeto de governo, que pretende discutir com as classes política, empresarial e, principalmente, com a juventude.
Dimas realizou, ainda, uma reunião, nesta quinta-feira, com um grupo de voluntários e amigos.

 

VACINA MAIS POTENTE


A segunda dose da vacina contra Covid-19 da Pfizer poderia ser adiada para se poder cobrir todos os grupos prioritários, já que a primeira oferece uma proteção alta, disseram dois pesquisadores radicados no Canadá em uma carta publicada no periódico científico New England Journal of Medicine.
A vacina teve uma eficácia de 92,6% após a primeira dose, disseram Danuta Skowronski e Gaston De Serres com base em uma análise dos documentos apresentados pela farmacêutica à Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA).
Estas conclusões foram semelhantes às que apontaram uma eficácia de 92,1% da primeira dose da vacina mRNA-1273 da Moderna, de acordo com a carta lançada na quarta-feira (17).
Em sua resposta, a Pfizer disse que regimes de dosagem alternativos da vacina ainda não foram avaliados e que a decisão cabe às autoridades de saúde.

 

230 MILHÕES DE DOSES DE VACINA

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, prometeu aos governadores que serão distribuídas cerca de 230 milhões de doses de vacina até o final de julho. Até dezembro, o governo projeta distribuir cerca de 315 milhões de doses de vacina em 2021.
Esse número sobe para 455 milhões de doses quando o governo contabiliza lotes adicionais que ainda estão em tratativas com a o Instituto Butantan e com a Fiocruz.
O cronograma foi apresentado em reunião nesta quarta-feira (17).
Para alcançar as 230 milhões de doses até o final de julho, o governo está contando com 10 milhões de doses importavas da Índia da vacina de Oxford, produzida pela Astrazeneca. Isso porque o Ministério da Saúde só prevê o recebimento de produção desse imunizante pela Fiocruz a partir de março.

 

Posted On Sexta, 19 Fevereiro 2021 08:35 Escrito por

ESTATISTCA DOS ATUAIS DEPUTADOS NÃO BATEM...


O Tocantins tem, exatamente, 139 municípios, mesmo assim, com um número exato, vários deputados federais e estaduais gritam aos quatro ventos que têm apoio de 50, 30, 45 prefeitos, como se nosso Estado tivesse mais de 300 municípios.
As contas, simplesmente, não batem!
Trocando em miúdos e olhando pelo retrovisor político, essas contas desses parlamentares nem para a estratégia de marketing servem.
Prefeitos só têm forças se estiverem com suas administrações bem avaliadas e, mesmo assim, nenhum prefeito tocantinense conseguiu transferir mais que 5% de votos aos seus candidatos a parlamentares nas últimas eleições.
Além disso, são poucos os que conseguem fechar apoios aos candidatos ao parlamento junto aos vereadores e até aos presidentes do seu próprio partido.
Conceder emendas impositivas é uma coisa. Conseguir a liberação de recursos é outra.

 

POLÍTICA NÃO É MATEMÁTICA


Poucos foram os candidatos que conseguiram maioria entre os vereadores e presidentes de partidos. O ex-senador Vicentinho Alves, antes de ser candidato ao governo do Estado, tinha mais de 60% das intenções de voto em uma eleição, assim como Sandoval Cardos, que tinha 78% em outra, e Siqueira Campos, que tinha 86% na eleição contra Marcelo Miranda.
Todos perderam.
Logo, quem estiver visando a uma eleição em 2022 tem que sair do ar condicionado dos escritórios, das mordomias em Brasília e desembarcar nas províncias, onde estão suas bases eleitorais.
O voto de cabresto acabou. O que vale, agora, é a prestação de contas do que cada candidato fez e uma aproximação imediata e sincera com os cidadãos.
Esse recado também vale para uma meia dúzia de candidatos à reeleição na Assembleia Legislativa.

 

BASES AGUARDAM POSIÇÃO DE EDUARDO GOMES SOBRE SUCESSÃO


Prefeitos, vereadores correligionários do MDB, aliados de outros partidos e vários líderes políticos de diversos municípios tocantinenses, seguidores do senador Eduardo Gomes, aguardam a sua chegada em território tocantinense para saber qual caminho político irão seguir nas eleições estaduais de 2022.
Segundo fontes, o senador já foi convidado para continuar na liderança do governo de Jair Bolsonaro no Congresso Nacional. Essa é uma excelente notícia para o povo tocantinense e para o próprio Eduardo Gomes, que prosseguirá carreando recursos para o Tocantins e para os 139 municípios.

COORREÇÃO


Em nossa coluna desta terça-feira (16), informamos sobre a força política do MDB, maior partido brasileiro, mas ao informarmos o número de Senadores, por erro de digitação, acabamos informando que o partido possuía 11 senadores quando, na verdade, são 15 membros na bancada do Senado Federal.
Ficam, aqui, nossas desculpas pelo equívoco.

 

FUSÃO PARTIDÁRIAS A VISTA

São vários os partidos pequenos e nanicos que, com o resultado pífio das urnas nas eleições municipais do ano passado e, se preparando para o que será a primeira eleição estadual sem coligações proporcionais, já estruturam fusões para não “desaparecerem” do Congresso Nacional.
Muitas das siglas que estão se preparando para a fusão têm representantes na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados e, caso não prossigam com as fusões, dificilmente conseguirão eleger sequer um deputado, quem dirá um deputado federal.

Isso é fato!

 

CÚPULAS NACIONAIS DE OPOSIÇÃO PODEM FECHAR QUESTÃO


Os partidos de oposição ao governo de Jair Bolsonaro podem fechar questão proibindo os diretórios estaduais a apoiar candidatos a governador que façam parte da base política de Bolsonaro.

 

REFORMA POLÍTICA NA “FORMA”


O presidente do Senado, Eduardo Pacheco, já formou uma comissão para propor as mudanças nas regras das eleições de 2022, um esboço para instituir o voto impresso para eleições de deputados estaduais, federais e distritais, com coligação por distrito.
A proposta deixa claro que o Senado quer tirar o poder do Judiciário. Só esqueceram de combinar com o STF e com o TSE.
A intenção é votar as mudanças a toque de caixa para aproveitar o momento de turbulência e conflitos do Legislativo com o Executivo e virar o “alvo” para o Judiciário.
Dificilmente conseguirão êxito nessa empreitada.

Só o tempo dirá.

 

RONALDO DIMAS DESCARTA SER VICE


O pré-candidato a governador e ex-prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, considerado o melhor “tocador de obras” da Região Norte do Estado, em entrevista ao talentoso jornalista Cleber Toledo, revelou que não existe possibilidade de ser candidato a vice-governador nas eleições de 2022.
Dimas está fazendo um giro no Estado, conversando com companheiros, discutindo prioridades e formando parcerias com lideranças e futuros candidatos a deputado federal e estadual.

 

DEPUTADO PRESO EM FLAGRANTE


O deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) foi preso em flagrante pela Polícia Federal na noite desta terça (16) por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).
Silveira já está com os policiais a caminho da Superintendência da Polícia Federal. Ele, que já é alvo do inquérito que apura o financiamento de atos antidemocráticos, publicou um vídeo com ofensas, ameaças e pedido de fechamento do Supremo, segundo a decisão do ministro.
“O autor das condutas é reiterante na prática criminosa, pois está sendo investigado em inquérito policial nesta CORTE, a pedido da PGR, por ter se associado com o intuito de modificar o regime vigente e o Estado de Direito, através de estruturas e financiamentos destinados à mobilização e incitação da população à subversão da ordem política e social, bem como criando animosidades entre as Forças Armadas e as instituições”, diz a decisão.
“As condutas criminosas do parlamentar configuram flagrante delito, pois na verifica-se, de maneira clara e evidente, a perpetuação dos delitos acima mencionados, uma vez que o referido vídeo permanece acessível a todos os usuários da rede mundial de computadores, sendo que até o momento, apenas em um canal que fora disponibilizado, o vídeo já conta com mais de 55 mil acessos.”
Silveira tuitou a própria prisão.

 

GOVERNO COMPRA 100 MILHÕES DE VACINAS DO BUTANTAN


O Ministério da Saúde assinou um novo contrato com o Instituto Butantan para a compra de 54 milhões de doses da vacina Coronavac. A informação foi confirmada pela CNN Brasil.
As novas doses se somam às outras 46 milhões que o governo federal já havia adquirido do instituto paulista, chegando a um total de 100 milhões de doses da Coronavac para o programa nacional de vacinação.
Conforme a pasta da Saúde informou à imprensa, o primeiro lote, das 46 milhões de doses, ainda não foi entregue e está em produção. Mas, de acordo o ministério, o governo federal já empenhou os recursos, ou seja, reservou o dinheiro que será destinado ao pagamento, para reiterar o compromisso de compra. Pelo contrato do Butantan com o governo federal, a compra do segundo lote está condicionada à entrega total do primeiro.

 

GILMAR REBATE VILLAS BÔAS


O ministro Gilmar Mendes usou as redes sociais nesta terça, 16, para rebater o ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas. Mais cedo, o militar ironizou a reação do ministro Edson Fachin, que subiu o tom nesta segunda contra uma declaração dita por ele há três anos.
"A harmonia institucional e o respeito à separação dos poderes são valores fundamentais da nossa república. Ao deboche daqueles que deveriam dar o exemplo responda-se com firmeza e senso histórico: Ditadura nunca mais!", escreveu Gilmar.
A polêmica teve início após o livro General Villas Bôas: Conversa com o Comandante, lançado pela Editora FGV a partir de uma longa entrevista dada ao pesquisador Celso Castro, revelar que o ex-comandante do Exército teria planejado com o Alto Comando da Força o tuíte que foi interpretado como pressão para que o Supremo Tribunal Federal (STF) não favorecesse o ex-presidente Lula.

 

VILLAS BÔAS IRONIZA

O ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas reagiu, nesta terça-feira, 16, à manifestação feita pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin sobre os militares na segunda-feira, 15. Em sua conta no Twitter, o general ironizou o fato do ministro subir o tom sobre um fato acontecido há 3 anos.
"Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do País e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais?", escreveu Villas Bôas na ocasião, um dia antes da Corte julgar um habeas corpus ajuizado pelo petista, o chefe militar primeiro tuitou que a Força compartilhava "o anseio de todos os cidadãos de bem". Depois, divulgou novo tuíte citando as instituições, com tom ainda mais político.
O texto chegou a ser interpretado como ameaça de golpe, caso Lula fosse libertado. O ex-presidente cumpria pena estabelecida pelo juiz Sérgio Moro, no processo do triplex do Guarujá. Sua libertação poderia ter influência na campanha eleitoral. A disputa foi vencida, no segundo turno, por Jair Bolsonaro, derrotando o petista Fernando Haddad.

 

Posted On Quarta, 17 Fevereiro 2021 07:25 Escrito por

 

“A vitória não ensina nada. O que ensina é a derrota” 

 

CHICO ANYSIO

 

 

 

BORSOLNARO IMPLODE DEM E PSDB INTERNAMENTE

Com um Orçamento “virgem”, concessão de auxílio emergencial, com o comando das duas Casas Legislativas, fechado com o centrão, o presidente Jair Bolsonaro deu um “nó” nas oposições ao seu governo.

Com o Diário Oficial e a chave do cofre na mão e com a esquerda fragilizada, caso cumpra sua parte no pacto feito com os líderes partidários, o presidente Jair Bolsonaro já tem sua candidatura à reeleição “pavimentada”, principalmente porque conseguiu implodir, internamente, o DEM e o PSDB, que abrigam seus principais adversários na corrida sucessória de 2022.

ACM Neto e Rodrigo Maia no DEM, assim como João Dória e Aécio Neves, no PSDB, já não falam a mesma língua e, dificilmente, voltarão a falar.

Resta saber por qual partido Bolsonaro disputará o pleito.  Se acertar esse quesito, também, pode vir imbatível em 2022.

 

CASAMENTO POLITICO COM SEPARAÇÃO DE BENS

Ou o presidente Jair Bolsonaro aceitava o casamento com o centrão, como fez Michel Temer, ou corria o risco de acabar como Dilma, apeado do poder por um processo de impeachment.

Por outro lado, o centrão, desnutrido, sem reservas financeiras para este ano para viabilizar as eleições de 2022, precisava desse casamento para liberar emendas impositivas e convênios para sanar sua gula por recursos federais.

A duração do casamento dependerá, agora, do governo federal cumprir com a sua parte.  Isso significa cargos em todos os escalões, ministérios e secretarias.

Apesar de ser um casamento com “separação de bens”, o compromisso deve ser cumprido, sob risco de ingovernabilidade e problemas para a União.

Neste primeiro momento, apenas o governo federal conseguiu o que queria: eliminar a possibilidade de um impeachment contra si.

 

OPOSIÇÃO PRECISA ACHAR SEU RUMO

Divididas, sem discurso, sem propostas e enfrentando guerras e rachas internos, sem nenhuma liderança capaz de promover a união, pelo menos dos principais partidos, a oposição ao governo de Jair Bolsonaro precisa achar um rumo no decorrer deste ano.

Sem união, não haverá propostas nem planejamento e continuarão prevalecendo os interesses pessoais em detrimento do coletivo.

 “Tratorados” pela máquina administrativa comandada por Bolsonaro, os oposicionistas perderam não só o rumo, como a credibilidade junto ao povo.

 

BOLSONARO NO PATRIOTA

Os bastidores políticos em Brasília dão como certa a filiação do presidente Jair Bolsonaro ao Patriotas, juntamente com os principais membros do seu grupo político.

O objetivo será fazer o partido crescer ao longo do ano, principalmente nos estados, para receber filiações de senadores, deputados federais e estaduais na “janela” do início de 2022 e construir uma base forte no Congresso Nacional, coma formação de uma bancada de apoio, juntamente com os partidos aliados, partindo para um governo com uma grande base, caso seja reeleito.

 

MDB RECOLHIDO

Diante do tsunami de conflitos políticos de partidos brigando internamente entre si, após a eleição das mesas –diretoras do Congresso e do Senado, o MDB vem guardando um silêncio sepulcral, apenas observando a estranha “lua de mel” entre o governo federal e o centrão.

Sabedor do seu tamanho, com 784 prefeitos, 7.335 vereadores, 34 deputados federais e 11 senadores, que o transformam no maior partido político brasileiro, o MDB irá focar em manter essa tendência e eleger o maior número de governadores em 2022.

Por isso, fica fácil entender o recolhimento estratégico do MDB, neste momento, mantendo-se fora dos conflitos e trabalhando para, no segundo semestre, “sair da toca” e saber com quem e de que lado estará nas eleições de 2022.

 

O POVO

Com milhões de pessoas desempregadas, endividadas, com o CPF bloqueado, com o caos na Saúde Pública e milhares de órfãos pela Covid-19, a promessa de 250 reais para apenas metade dos atendidos pelo auxílio emergencial no momento inicial da pandemia, pode se tornar o maior obstáculo para o governo de Jair Bolsonaro e seus aliados, que precisará ser resolvido logo, antes que as manifestações comecem, sob o risco de colocar em cheque sua reeleição em 2022.

Nem sempre sair na frente, logo após a largada, significa chegar na frente no final.  Não bata resolver problemas políticos no Congresso.  Tem que estar bem nos municípios e nos estados e, principalmente, na mente do povo.

 

AS OPOSIÇÕES

As oposições já levaram duas surras.  A primeira na eleição municipal de 2020 e a segunda na eleição das mesas-diretoras da Câmara Federal e do Senado.

O governo soube aproveitar as divisões partidárias internas e conseguiu capitalizar os votos que precisava no parlamento para eleger seus candidatos. Porém, ficou um recado fúnebre aos detentores de mandatos que serão candidatos à reeleição no Congresso e nas Assembleias Legislativas estaduais: ou se unem partidariamente, fortalecendo suas agremiações, construam uma frente partidária e partam, unidas, para o pleito contra o presidente Jair Bolsonaro e seus candidatos a governador deputados e senadores nos estados, ou serão fragorosamente derrotadas.

Sempre deixando claro que quem decidirá a eleição não será ninguém, senão sua majestade, o eleitor.

 

FAMÍLIAS ENDIVIDADAS

 

O endividamento das famílias brasileiras bateu novo recorde em novembro de 2020, em plena pandemia de covid-19. Segundo dados do Banco Central (BC), as dívidas bancárias atingiram 51% da renda acumulada das famílias nos 12 meses anteriores.

O recorde anterior havia sido registrado no mês de outubro de 2020, com 49,81% dos ganhos. A série histórica começou em janeiro de 2015. Entram na conta todas as dívidas com bancos, incluindo as de financiamento imobiliário.

Em janeiro de 2019 - ou seja, antes da pandemia -, esse indicador era de 45,19%. O menor porcentual registrado desde o início do levantamento é o de janeiro de 2005 (18,42%), que marca o começo da série histórica.

 

GOVERNADORES COBRAM VACINAS

Com doses de vacina contra a covid-19 se esgotando, governadores e congressistas preparam uma ofensiva sobre o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para acelerar a chegada de novos imunizantes ao País. A pressão sobre o general aumentou após Pazuello prometer que todo o País será imunizado ainda neste ano, mesmo com o governo federal patinando para ampliar a oferta de vacinas.

O Fórum dos Governadores reúne-se com Pazuello na quarta-feira, 17. Os chefes dos Estados e do Distrito Federal vão cobrar, novamente, um cronograma para a entrega das doses. "Nos aproximamos de 30 dias do início da vacinação com perspectiva de alcançar apenas 3% da população brasileira vacinada. Neste ritmo, não vai se concretizar o plano do governo de vacinar, até junho, metade da população", disse o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), que coordena trabalhos do Fórum sobre vacina.

O Ministério da Saúde afirma que 11,1 milhões de doses já foram entregues. Este volume serve para vacinar cerca de 6,5 milhões de pessoas. Segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de saúde, o número de pessoas vacinadas no País chegou a cerca de 5 milhões no domingo, 14. Os dados do Ministério da Saúde, que estão desatualizados, apontam cerca de 3 milhões de pessoas que receberam ao menos a primeira dose.

 

TUCANOS CONTRA DÓRIA

Uma comitiva de deputados do PSDB esteve em Porto Alegre para um lançamento informal do nome do governador gaúcho, Eduardo Leite, à Presidência em 2022. O movimento é liderado pelo deputado Lucas Redecker (RS) e tem o apoio de parlamentares que se rebelaram contra o governador João Doria (SP).

O gatilho da articulação foi a ofensiva do governador paulista para que a bancada do PSDB adote uma postura mais incisiva de oposição ao presidente Jair Bolsonaro e a movimentação de aliados para que o chefe do Executivo paulista assuma a presidência do partido em maio. Diante da repercussão negativa, os aliados de Doria recuaram da estratégia de tentar interferir na sucessão tucana.

À Coluna do Estadão, Leite afirmou que é "precipitado definir candidatura, seja de quem for", mas prometeu ajudar o partido a buscar o melhor caminho para 2022. "O partido deve primeiro se reunir em torno de ideias, de um propósito. E é papel de quem exerce funções relevantes, como nós governadores, de ajudar na condução dos debates para uma futura tomada de decisão. Mas jamais impor um caminho em função de pretensões pessoais", disse, sem citar Doria.

 

Posted On Terça, 16 Fevereiro 2021 12:21 Escrito por
Página 1 de 39

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-504.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias