Giovanna Nazareno denuncia fraude no repasse do fundo eleitoral do PSB para as candidatas (com vídeo)

Posted On Terça, 27 Outubro 2020 05:01
Avalie este item
(0 votos)

Da Redação 

 

A candidata a vereadora de Palmas, pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), Giovanna Nazareno, usou as redes sociais para expor sua insatisfação com o seu grupo político, que tem como candidato a prefeito Tiago Amastha Andrino (PSB) e Nilmar Ruiz (PL), como vice. No vídeo, a policial civil faz uma grave denúncia, que poderá se uma das maiores feitas nestas eleições municipais, que envolve fraude nos repasses do Fundo Eleitoral, para as candidatadas da Sigla. 

 

Giovanna Nazareno conta que, no início do ano, foi convidada pelo presidente metropolitano do partido, Tiago Amastha Andrino para filiar-se a sigla, e que na época mencionou não ter recursos próprios para financiar a campanha. Com a garantia de que teria total liberdade no grupo, a policial ingressou no PSB.

 

Tendo em vista que a legislação eleitoral exige um mínimo de 30% de repasse do Fundo Eleitoral para financiar as candidaturas femininas, segundo Giovanna Nazareno, as mulheres do PSB teriam em média R$374 mil. O impasse teria iniciado após uma reunião com o ex-prefeito Carlos Amastha (PSB), onde a candidata garante que o ex-prefeito disse ter pago R$900 mil de contrato para os advogados e R$400 mil ao contador, mas constatou-se que o contrato era de R$50 mil para os advogados e R$80 mil aos contadores, o que ela mencionou como “muito longe da realidade dita”.

 

Após este episódio com a divergência de valores, a candidata que afirma ter lutado pela divisão igualitária dos recursos às mulheres, diz está sendo preterida no grupo. “Bati boca, briguei pelas mulheres candidatas, falei que não sou candidata laranja, não iria aceitar isso e estou encontrando obstáculos dentro do próprio partido, onde o presidente por pirraça não faz o repasse, não fazem porque não me vendi, não aceitei as propostas deles”, disse.

 

O que chama a atenção é que esta denúncia parte de uma policial civil, fundadora da Associação das Polícias Civis do Tocantins. Um relato que traz informações que precisam ser averiguadas pelo Ministério Público Eleitoral para que não haja fraudes nas candidaturas femininas, tampouco no repasse dos recursos destinados a elas.  O suposto superfaturamento contábil e jurídico também precisa ser investigado pelos órgãos competentes, uma vez que o Ministério Público Eleitoral são os olhos da sociedade.

 

Investigação

 

Sem fazer julgamentos, o Paralelo 13 aguarda um posicionamento oficial do Ministério Público Federal e Ministério Público Eleitoral sobre a denúncia que circula nas redes sociais. A apuração dos episódios denunciados pela candidata Giovanna Nazareno demonstra transparência dos gastos dos recursos públicos e é uma oportunidade para que os envolvidos se posicionem e apresentem provas diante dos fatos.

 

Sem a quebra dos sigilos bancários e contábeis do PSB fica impossível averiguar a denúncia. O Ministério Público Federal e Estadual tem competência para abrir um inquérito investigativo através da Polícia Federal para apurar esta grave denúncia. Temos certeza que se houver indícios de fraude, os órgãos fiscalizadores investigarão os envolvidos e a Justiça julgará conforme determina a lei.

 

Última modificação em Terça, 27 Outubro 2020 05:40

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-504.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias