COLUNA FIQUE POR DENTRO

Posted On Sexta, 03 Julho 2020 13:40
Avalie este item
(0 votos)

REVIRAVOLTA EM PALMAS

Informações de bastidores confirmam que há um “zap na manga” no processo sucessório de Palmas, com potencial para mudar todo o cenário. 

Uma minuciosa cirurgia política em andamento, operada por um grupo de políticos, empresários e líderes partidários detentores de mandato no Congresso Nacional, na Assembleia Legislativa e na Câmara Municipal, pode “dar à luz” esse “zap” e provocar um “cheque-mate” com uma candidatura que pode nascer já liderando as pesquisas para a sucessão municipal de Palmas.

Porém, todo cuidado é pouco para que não se construa uma “Arca de Noé” com as mesmas fragilidades do Titanic...

Aguardem....

 

ARLINDO LOPES É CANDIDATO A VEREADOR

O empresário portuense e presidente do Diretório Municipal do MDB confirmou sua pré-candidatura a vereador.

Arlindo se destacou pelo trabalho de união, harmonização e fortalecimento do MDB portuense, que há mais de 10 anos vinha convivendo com desavenças e divergências internas, o que impedia a legenda de participar das eleições municipais com um candidato próprio a prefeito.

Ao que parece, isso, agora, é coisa do passado. No comando do MDB Arlindo trouxe para as fileiras do partido o atual prefeito, Joaquim Maia, que é candidato à reeleição e formou uma grande chapa de vereadores, da qual ele mesmo faz parte, incentivado pelas demais lideranças.

Nos próximos dias, Arlindo dará posse aos presidentes do MDB Jovem, MDB Mulher e MDB Empresarial de Porto Nacional, que irão trabalhar integrados pela reeleição do prefeito Joaquim Maia e pela eleição dos vereadores do partido.

 

MAGNA DO HGP TENTA VAGA NA CÂMARA

Magna Ferreira, a popular Magna do HGP, unidade em que foi diretora por três anos na gestão do ex-governador Marcelo Miranda, é pré-candidata a vereadora.

Graduada em Gestão Pública e cursando serviços Sociais, Magna já está “na labuta” em busca de mais esta conquista, fazendo entre 10 e 12 visitas por dia, sempre respeitando as orientações da OMS, mantendo o distanciamento social.

Ela, também, já tem um grupo de profissionais da Saúde, dentre eles, 58 médicos, lhe ajudando voluntariamente.

Nos próximos dias Magna estará na Região Norte da cidade, para levar suas propostas e seus projetos.

Desejamos uma boa sorte à Magna em mais essa empreitada!!

 

OTONIEL COM O “BLOCO NA RUA”

O ex-prefeito por três gestões e atual líder em todas as pesquisas internas de intenção de voto, Otoniel Andrade já está, há meses, fazendo visitas á comunidade portuense na comunidades dos distritos, zona rural e no centro, levando suas propostas e ouvindo sugestões, a respeito das prioridades e demandas da população.

O principal ponto é o resgate do desenvolvimento da cidade, tendo como carro chefe oDistrito de Luzimangues.

 

FEDER NA EDUCAÇÃO

O presidente Jair Bolsonaro escolheu o secretário de Educação do Paraná e ex-executivo Renato Feder para ser o novo ministro da Educação. A informação foi confirmada por fontes ao Estadão. Feder havia se reunido com Bolsonaro antes da escolha de Carlos Alberto Decotelli, que pediu demissão depois de denúncias sobre incoerências em seu currículo.

A expectativa é que o anúncio seja feito ainda nesta sexta-feira. Na semana passada, Bolsonaro havia ligado para Feder para agradecer. Mas ele teria preferido alguém mais velho. Decotelli tem 70 anos e Feder, 42.

O presidente havia preterido Feder, segundo fontes, por sua relação com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). O empresário doou R$ 120 mil à campanha do tucano para prefeito.

Feder é secretário de Educação no Paraná e chegou a trabalhar na Secretaria Estadual de Educação de São Paulo.

 

SERRA NA MIRA DA PF

A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta sexta-feira (3), 8 mandados de busca e apreensão contra o ex-governador e atual senador paulista, José Serra (PSDB). As ações, que estão sendo cumpridas em São Paulo e no Rio de Janeiro, têm autorização da Justiça Federal, após o Ministério Público Federal em São Paulo denunciar o tucano por lavagem de dinheiro transnacional.

Parte da força-tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo, a denúncia se refere aos anos de 2006 e 2007, quando Serra era governador e teria recebido pagamentos indevidos da Odebrecht em troca de benefícios nas obras do Rodoanel Sul.

Milhões de reais teriam sido pagos pela empreiteira através de uma rede de empresas no exterior, para que “o real beneficiário dos valores não fosse detectado pelos órgãos de controle”, segundo o MPF.

Além de Serra, a filha do senador, Verônica Serra, também está sendo investigada porque, segundo a operação, ela e o empresário José Amaro Pinto Ramos constituíram empresas no exterior, ocultando seus nomes, e por meio delas recebiam a verba da Odebrecht destinada ao então tucano enquanto governador, entre 2007 e 2010.]

 

ARAS DÁ AVAL A BOLSONARO

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o presidente Jair Bolsonaro possa escolher a forma como prefere depor no inquérito que apura interferência na Polícia Federal. Em parecer enviado à Corte, Aras diz que o presidente tem o direito de optar por enviar uma manifestação por escrito, ir pessoalmente ou mesmo ficar em silêncio. A consulta a Aras foi feita pelo relator do caso, o decano Celso de Mello, que decidirá como Bolsonaro será ouvido no processo.

Na manifestação, Aras cita um precedente no Supremo, quando o ministro Luís Roberto Barroso autorizou depoimento por escrito do então presidente Michel Temer em outro caso.

Bolsonaro é suspeito de interferência indevida na PF. A investigação foi aberta a partir de afirmações do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, que deixou o governo após o presidente demitir o então diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, seu indicado.

 

VETO EM FAVOR DAS FAKE NEWS

O presidente Jair Bolsonaro voltou a falar que pode vetar o projeto de lei das fake news aprovado no Senado. Segundo ele, se o texto chegar ao Executivo da maneira como está, será vetado. Em live semanal no Facebook, ele afirmou ainda que considera difícil a aprovação na Câmara dos Deputados. "Se o projeto chegar bom, a gente sanciona. Se chegar como se apresentou até o momento, a gente não tem como não deixar de vetar."

Caso passe na Câmara, Bolsonaro disse que pode consultar a população sobre quais artigos devem ser vetados. "Se passar na Câmara, o que eu acho difícil, nós podemos publicar o projeto ainda, porque eu tenho 15 dias para sancionar ou vetar, e a opinião púlica vai dizer qual artigo deve ser vetado e qual não deve."

O projeto de lei aprovado no Senado tenta implantar um marco inédito na regulamentação do uso das redes sociais, criando a chamada Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet. Companhias do setor tem criticado o teor do projeto e apontado riscos de censura.

 

COVI-19 E AS SUBNOTIFICAÇÕES

Um estudo da Universidade Federal de Pelotas encomendado pelo Ministério da Saúde indica que os números do coronavírus podem ser até seis vezes maiores do que os dados oficiais.

O estudo, divulgado nesta quinta-feira (02/07), sugere haver um alto índice de subnotificação de casos da doença no Brasil, cujos dados oficiais colocam o país como o segundo no mundo em óbitos (61.884) e infectados (1.496.858).

 

De acordo com o Ministério da Saúde, este foi o maior estudo feito até agora no país sobre a pandemia. A pesquisa entrevistou quase 90 mil pessoas em 133 cidades em todos os estados e no Distrito Federal - as chamadas "sentinelas", que são os maiores municípios das divisões demográficas do país, segundo critérios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De forma aleatória, os entrevistados fizeram um teste rápido para identificar a presença de anticorpos no organismo: 2.064 testaram positivo. Deles, 91% apresentaram sintomas e somente 9% não tiveram sintoma algum. Esses números diferem de outras pesquisas, que mostram uma percentagem de infectados assintomáticos mais alta.

"De modo geral, a diferença entre o número de pessoas infectadas é seis vezes maior do que o número de casos notificados. Trata-se de algo esperado, quando a maior parcela dos casos é leve ou assintomática, o que deve ser ainda confrontado com outros estudos disponíveis visto que outras estimativas apontaram um número maior para essa chamada subnotificação", ressaltou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco.

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-502.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias