Número de pessoas com sintomas conjugados associados à Covid19 cresce 5,2% no TO, aponta IBGE

Posted On Sábado, 25 Julho 2020 04:45
Avalie este item
(0 votos)

Os conjuntos utilizados foram: perda de cheiro ou de sabor, ou tosse e febre e dificuldade para respirar, ou tosse e febre e dor no peito. O Instituto ressalta que os sintomas foram informados pelo morador e não se pressupõe a existência de um diagnóstico médico.

 

Por Wendy Almeida

 

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD Covid19 mensal estima que em junho, cerca de 120 mil tocantinenses (7,6% do total da população no estado) tiveram sintomas de síndrome gripal. Em maio, o número foi maior, 148 mil pessoas (9,4%). Porém, cerca de 14,1 mil apresentaram sintomas conjugados que podiam estar mais associados à Covid19 (perda de cheiro ou sabor ou febre, tosse e dificuldade de respirar ou febre, tosse e dor no peito). Frente a maio (13,4 mil), o crescimento foi de 5,2%.

 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira, 24, dados do mês de junho da PNAD Covid19. A pesquisa foi coletada por telefone e perguntou nos domicílios selecionados se na semana anterior a entrevista, algum morador apresentou: febre; tosse; dor de garganta; dificuldade de respirar; dor de cabeça; dor no peito; náusea; nariz entupido ou escorrendo; fadiga; dor nos olhos; perda de cheiro ou de sabor; e dor muscular.

 

Muitos estudos na área da saúde identificaram sintomas que podem estar associados à Covid19. Neste sentido, e seguindo esta literatura, o IBGE conjugou os mesmos para apresentar um indicador síntese. Os conjuntos utilizados foram: perda de cheiro ou de sabor, ou tosse e febre e dificuldade para respirar, ou tosse e febre e dor no peito. O Instituto ressalta que os sintomas foram informados pelo morador e não se pressupõe a existência de um diagnóstico médico.

 

Outros resultados

Dos tocantinenses que relataram ter apresentado algum dos 12 sintomas de síndromes gripais, apenas 24% (29 mil pessoas) procuraram estabelecimento de saúde na rede pública ou privada, em busca de atendimento. Em maio, 27 mil (18,6%) foram ao médico. Do grupo com sintomas conjugados, 8 mil procuraram assistência. Comparando esses resultados com os do mês de maio (7 mil pessoas), percebe-se que mais pessoas têm buscado atendimento.

 

Conforme a pesquisa do IBGE, no mês de junho, do total de domicílios existentes no estado (cerca de 480 mil), em 11 mil pelo menos um morador estava com sintomas conjugados associados à Covid19. Considerando os 129 mil domicílios em que residia algum idoso, a estimativa é de que em 4 mil deles pelo menos um morador apresentava sintomas. Esse número dobrou (8 mil), quando se considerou os lares em que não morava idoso.

 

Outra categoria pesquisada na PNAD Covid foi a do plano de saúde. Segundo os dados coletados, 219 mil tocantinenses, cerca de 14%, contam com a assistência hospitalar e médica privada. O restante da população, 1,3 milhão (86%), em geral, depende do Sistema Único de Saúde (SUS). Comparado a maio (250 mil ou 15,9%), houve queda no número de pessoas beneficiárias de plano de saúde no estado.

 

Cenário nacional

Assim como no Tocantins, em todo país caiu o número de pessoas que referiram ter algum sintoma de síndrome gripal. A PNAD Covid estima que em junho 15,5 milhões de pessoas (ou 7,3% da população) tiveram algum dos sintomas, no mês anterior foram 24 milhões de brasileiros (11,4%). Em termos do indicador síntese também houve queda, 2,4 milhões de pessoas (ou 1,1% da população) apresentaram sintomas simultâneos que podiam estar associados à doença, contra 4,2 milhões em maio (2,0% da população).

 

A região Norte apresentou o maior percentual de pessoas com algum sintoma gripal (8,9% ou 1,6 milhão de pessoas), assim como o maior percentual de pessoas com algum dos sintomas conjugados (3,1% ou 564 mil pessoas). Por outro lado, Centro-Oeste teve o menor percentual, 6,4%, de pessoas com algum sintoma e o Sul o menor, 0,4%, para pessoas com sintoma conjugado. Frente a maio, houve queda em todas as regiões no percentual do grupo que referiu algum sintoma. Em relação ao indicador síntese, somente no Centro-Oeste foi verificada uma variação maior (de 0,4% para 0,9%).

 

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-502.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias