Covid-19: 354 milhões de doses estão asseguradas em 2021, diz Pazuello

Posted On Quinta, 07 Janeiro 2021 06:39
Avalie este item
(0 votos)

Ministro da Saúde fez pronunciamento em rede nacional de televisão. Ele disse que todos os estados receberão vacina simultaneamente e de forma proporcional à população

 

Com IstoÉ

 

Por meio de um pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão, nesta quarta-feira (6), o ministro da Saúde, Eduardo Panzuello, explicou como vai funcionar a Medida Provisória (MP) sobre a vacinação contra a Covid-19 que deverá ser enviada ao Congresso Nacional.

 

Além da vacina, o ministro relatou como vai funcionar a compra de outros equipamentos para o armazenamento e aplicação do imunizante. Panzuello garantiu que o presidente Jair Bolsonaro assinou a MP que trata dos assuntos da vacinação.

 

O ministro também aproveitou para enfatizar o número de brasileiros recuperados da Covid-19 e deixou de lado o número de óbitos que está perto de atingir os 198 mil. Panzuello garantiu que o Ministério da Saúde está preparado para imunizar a população.

 

“O ministério está preparado em termos financeiros, logísticos e organizacionais para executar o Plano Nacional de Operalização da Vacinação contra a Covid-19”, afirmou no pronunciamento.

 

“O Brasil já tem disponível cerca de 60 milhões de seringas e agulhas nos estados municípios. Ou seja, o número suficiente para iniciar a vacinação na população ainda neste mês de janeiro”, completou.

 

Panzuello também garantiu que mais seringas e agulhas devem chegar no mês de fevereiro. O ministro confirmou que o número de doses da vacina que o Brasil possui chega a 354 milhões para este ano, das quais 254 milhões são pela FioCruz em parceria com a Astrazeneca e 100 milhões produzidas pelo Instituto Butantan com a SinoVac.

 

Negociações com laboratórios

Outras negociações também seguem conforme Panzuello. O general do Exército citou os laboratórios Gamaleya, da Rússia, Janssen, Pfizer e Moderna dos Estados Unidos e Barat Biotech da Índia. Quanto a Pfizer, o ministro explicou o imbróglio que envolve o fornecimento da vacina ao Brasil pela empresa.

 

“O Ministério está trabalhando para resolver as imposições [da empresa] que não encontram amparo na legislação brasileira, dentre elas: isenção total e permanente da responsabilidade civil por efeitos colaterais advindos da vacina, transferência do foro de julgamentos de possíveis ações judiciais para fora do Brasil e disponibilização de ativos permanentes do País no exterior para a criação de um fundo caução para custear possíveis ações judiciais”, relatou.

 

Produção do imunizante

Panzuello aproveitou para lembrar que o Brasil é o único país da América do Sul que está produzindo a vacina e que futuramente ainda exportará o imunizante para o vizinhos sul-americanos.

“Seremos exportadores de vacina para a nossa região muito em breve”, afirmou.

 

Cronograma da Vacina

Ainda sem uma data específica para o início da imunização, o secretário-executivo, Élcio Franco, disse que “na melhor das hipóteses”, a vacinação pode começar no próximo dia 20 de janeiro. Élcio relata que uma data mais plausível seria a partir de 10 de fevereiro.

 

 

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-504.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias