COLUNA FIQUE POR DENTRO

Posted On Segunda, 06 Dezembro 2021 09:56
Avalie este item
(0 votos)

Filiação de Wanderlei Barbosa no PP

Sem partido e disposto a disputar as eleições do próximo ano, Wanderlei Babosa precisa escolher em qual sigla este pleito vai acontecer. Ao que tudo indica, o gestor avalia a possibilidade de filiar-se ao Partido Progressista, a convite da senadora Kátia Abreu, presidente do PP no Tocantins. Decisão esta que precisa ser muito bem avaliada, tendo em vista acordos políticos no Palácio do Planalto, entre Jair Bolsonaro (PL), Ciro Nogueira presidente nacional do PP e Valdemar Costa Neto, presidente nacional do PL.

Primeiro porque é sabido que Jair Bolsonaro tem livre arbítrio para dar as cartas das candidaturas nos estados. No caso do Tocantins pouco provável que opte por Wanderlei Barbosa, assim como deduz-se automaticamente que o PP apoiará a decisão do presidente da República. Fora isso tudo, Ciro Nogueira pode mexer nas peças fundamentais da sigla para agir em conformidade com as decisões do Presidente, o que pode mudar o comando, inclusive no Tocantins.

 

Apoio de Kátia Abreu a Vicentinho representa um coice na cara do deputado Eduardo Siqueira

Para quem não acompanhou, na última sexta-feira, o ex-governador Siqueira Campos filiou-se ao Partido Liberal. Até aí tudo bem, se não fosse a declaração feita no Twitter, pelo deputado estadual Eduardo Siqueira Campos, no qual referia ao fato como um oportunismo e que não era razoável interromper o descanso do pai com estas coisas.

Não bastasse a alfinetada do deputado Eduardo Siqueira, a senadora Kátia Abreu resolveu colocar mais lenha na fogueira e saiu em defesa de Vicentinho. Kátia Abreu fez questão de mencionar a coluna CT que o “esperteza e crueldade fizeram aqueles que o obrigaram a renunciar ao cargo de governador a troco de articulações espúrias”. A declaração de Kátia Abreu faz referência a renúncia de mandato do governador Siqueira Campos e o vice João Oliveira, que à época renunciaram aos cargos para que o presidente da Assembleia Legislativa, Sandoval Cardoso, assumisse o Palácio Araguaia.

Voltemos ao embate de Kátia e Eduardo Siqueira que deixa claro a inviabilidade de convivência em um mesmo palanque, na sucessão de 2022. Baseado nessa perspectiva Wanderlei Barbosa vai escolher o apoio de quem? Eis a questão.

 

Decisão de afastamento da prefeita de Gurupi, coloca Laurez Moreira de volta aos holofotes

O ex-prefeito Laurez Moreira volta a estar em evidência e ganha mais força política, após a decisão judicial que afastou a prefeita Josi Nunes e seu vice, Gleydson Nato. Conforme a ação, o objetivo é apurar abuso de poder político e econômico e, cabe recurso.

O fato é que Laurez Moreira foi um dos gestores mais bem avaliados no Tocantins, quando prefeito de Gurupi. Caso as instâncias superiores confirmem o afastamento de Josi Nunes e Gleydson Nato, inclusive com a possibilidade de uma cassação, Laurez Moreira ganha força para eleger tranquilamente um sucessor. Sem contar que o afastamento do governador Mauro Carlesse, indiretamente já prejudica sua aliada, Josi Nunes que pode enterrar-se politicamente.

Em nota a prefeita e seu vice afirmaram estar tranquilos. E paralelo a isso contratar assessores jurídicos capacitados para fazer a defesa. Vale destacar que as resoluções em desfavor dos gestores cabem recurso.

 

Houve Abuso de Poder Econômico?

De posse das provas de abuso de poder da gestão do Governo do Estado, que beneficiou a candidata a prefeita de Gurupi, Josi Nunes nas eleições de 2020, a justiça determinou o afastamento da gestora.

Mas Josi permanece no cargo até a última instância. Se houve de fato o crime eleitoral como afirma o MPE, este não foi praticado pela gestora e sim, por terceiros que não faziam parte de sua coligação. É claro que não cabe a nós julgarmos se a prefeita sabia ou não dos benefícios e estas acusações serão comprovadas no decorrer do processo.

 

A vida pública de Josi Nunes é ilibada

Josi Nunes tem uma folha de serviços prestados à comunidade tocantinense. São mais de 30 anos de vida pública, tanto como parlamentar na Assembleia Legislativa, quanto na Câmara dos Deputados. Neste período, sempre foi um exemplo.

Baseado neste histórico é importante evitar cometer qualquer injustiça com ambas as partes, tanto a denúncia do MPE, quando a prefeita de Gurupi.

 

 

Gratificação aos servidores do TCE pode ser anulada pela justiça

Diante dos gastos públicos, o Congresso nacional aprovou a proibição de reajustes e o congelamento dos salários dos servidores públicos estaduais e municipais durante a pandemia da covid-19. A proposta segue em vigor até o dia 31 de dezembro deste ano. Neste período de vigência da lei, os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins (TCE), foram na contramão da proposta criando custos para o órgão. A decisão do TCE corre sério risco de nulidade e os valores pagos sendo devolvidos aos cofres públicos, pelos conselheiros que foram beneficiados.

Estamos der olho...

 

Vicentinho Júnior declara apoio e voto a Kátia Abreu

Semana passada, o deputado federal Vicentinho Júnior tornou público o seu apoio e voto a candidatura da senadora Kátia Abreu a reeleição em 2022. Em contrapartida, nos bastidores do Palácio do Planalto, sabe-se que a senadora Kátia Abreu articulou contra a aprovação do nome do ex-ministro da Justiça, André Mendonça para a vaga no STF. Ainda assim, Mendonça foi aprovado por 47 a 32 contra.

 

Resta saber se em 2022, caso Kátia Abreu fique na oposição ao presidente Jair Bolsonaro, de qual lado vai ficar o deputado Vicentinho Júnior.

 

Lula encontra com representantes do PSD e se aproxima de Pacheco

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se encontrou na última sexta-feira com um grã-mestre cinco estrelas do PSD, para discutir alianças políticas com o partido de Gilberto Kassab. Conforme os bastidores, o objetivo é que o partido apoie o ex-presidente já no primeiro turno.  Paralelamente o ex-presidente, articula a filiação do ex-governador Geraldo Alckmin para ser seu vice na disputa à presidência da república em 2022.

 

Os efeitos colaterais da filiação de Siqueira Campos ao PL

A forma usada pelo ex-senador Vicentinho Alves para a filiação do governador Siqueira Campos teve reação negativa do deputado Eduardo Siqueira e de muitas lideranças políticas. Nesta semana haverá muitos acontecimentos na política tocantinense, resultado da malfadada forma como Vicentinho Alves conduziu o processo, podendo-se transformar-se em um suicídio político.

 

Outro quiproquó foi filiar Siqueira Campos, primeiro suplente do senador Eduardo Gomes, atualmente líder do governo no Congresso Nacional, de forma. Isso terás efeitos colaterais e catastróficos para o ex-senador Vicentinho, presidente do PL tocantinense.

 

O Impeachment de Mauro Carlesse ao Governo

Se o processo de impeachment do Governador Afastado Mauro Carlesse for instalado pela Assembleia Legislativa, nem o Supremo Tribunal Federal consegue retornar o ex-gestor ao cargo. Toinho Andrade, presidente da Casa de Leis segue o ritual e caso aceite o pedido levará ao plenário a proposta de abertura do processo. Caso a maioria dos parlamentares sejam favoráveis a acatar o pedido, o presidente escolherá cinco deputados estaduais e o Tribunal de Justiça cinco desembargadores para julgar o mérito. A partir daí a Assembleia ficará centrada na análise do processo onde o governador Mauro Carlesse tem dez sessões para se defender.

 

Recesso parlamentar pode ser suspenso

 

Caso haja a abertura no processo de impeachment do governador, o recesso ficará suspenso e a convocação de sessões extraordinárias certamente serão necessárias. A decisão deve ser publicada no Diário Oficial da Assembleia Legislativa e vale lembrar que o processo segue o regimento da Casa de Leis.

 

Afastamento de Carlesse até o julgamento final

 

Após a publicação da decisão do pleno em maioria, pelo acatamento da abertura do processo de impeachment pela Assembleia Legislativa, o governador afastado pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ), ficará afastado, desta vez pela Casa de Leis do Tocantins, até o julgamento final do processo, não cabendo apresentar recurso em nenhuma instância superior da Justiça brasileira.

Vale lembrar que a análise deste processo tem grandes chances de até o mês de abril ainda não estar concluído, período este que termina o prazo definido pelo STJ, do afastamento de Mauro Carlesse. Neste caso, a Assembleia Legislativa tem todas as prerrogativas para prorrogar o prazo pelo tempo que julgar necessário para conclusão da análise da materialidade das provas.

 

 

Última modificação em Segunda, 06 Dezembro 2021 13:56

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-506.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias