COLUNA FIQUE POR DENTRO

Posted On Terça, 29 Setembro 2020 03:28
Avalie este item
(0 votos)

BOM DESEMPENHO DE JOSI NUNES PREOCUPA BASE POLÍTICA DE LAUREZ

O ótimo desempenho da ex-deputada Josi Nunes como candidata a prefeita de Gurupi está ligando o sinal de alerta no QG da campanha do “candidato chapa-branca”, Gutierres Torquato, ungido pelo atual prefeito, Laurez Moreira.

A capacidade de aglutinar lideranças políticas, empresariais vem sendo o grande diferencial entre Josi e Gutierres.  Sendo Gurupi o “colégio eleitoral” do governador Mauro Carlesse, a deputada conquistou o apoio do Palácio Araguaia e do grupo político do governo estadual.

Essa reunião de forças turbinou a campanha de Josi e trouxe incertezas e fragilidades à campanha de Gutierres.

 

EDUARDO GOMES GARANTE QUE REFORMAS NÃO TRARÃO AUMENTO DE IMPOSTOS

O senador Eduardo Gomes, líder do governo de Jair Bolsonaro no Congresso Nacional, garantiu, em entrevistas à grande mídia, que o novo Pacto Federativo e a Reforma Tributária não resultarão em aumento de imposto.

“Eu gostaria de tranquilizar, dizendo que o pacote de reformas não traz nenhuma novidade que não seja calcada em dois princípios fortes: não haverá aumento de carga tributária e não haverá rompimento do teto dos gastos”, garantiu.

A respeito do novo imposto sobre transações digitais, planejado pelo governo federal, Gomes afirmou que a possibilidade só será discutida após a ampliação e desoneração da folha.

Segundo Gomes, a “regra” é “não se pode aumentar a carga tributária”. “É um conjunto, não é uma discussão isolada de um imposto que vai resolver nosso problema. Vai ter que ser uma reforma mais profunda do Estado. Ela não será apresentada se não ficar absolutamente claro que a gente reduziu a carga tributária o suficiente para dar a segurança de que a população vai pagar menos imposto e ter mais serviços”, finalizou.

 

MDB PORTUENSE REGISTRA CHAPAS MAJORITÁRIA E PROPORCIONAL

O presidente do MDB de Porto Nacional, Arlindo Lopes ,(foto) deu entrada no TRE com o pedido de registro das candidaturas a prefeito de Joaquim Maia e Agamenon do Mega como candidato a vice-prefeito.

Para Arlindo, foi um momento histórico para o MDB portuense, que há mais de 30 anos não tem, no Palácio Tocantins, a prefeitura de Porto Nacional, um prefeito eleito pela legenda.

Segundo o presidente do MDB portuense, essa conquista de ter um candidato do partido com chances reais de vitória, foi o fruto da união de várias mentes que ajudaram a reconstruir o Diretório do Partido sem divisões internas, sempre buscando um entendimento completo e irrestrito.

“Unidos, vamos dar a vitória, por mais quatro anos, ao prefeito Joaquim Maia, que já fez muito e fará ainda mais, nos próximos quatro anos, por Porto Nacional”, comemorou Arlindo Lopes.

 

MARCELO MIRANDA DE QUARENTENA

O ex-governador Marcelo Miranda, presidente estadual do MDB, iniciou os preparativos para um giro no Estado a partir da próxima semana.

Marcelo Miranda vem se mantendo em quarentena voluntária, após sua esposa, a deputada federal Dulce Miranda ter testado positivo para Covid-19.

Apesar de não estarem vivendo sob o mesmo teto por conta dos afazeres políticos da deputada, em Brasília, Marcelo prefere cumprir a quarentena e só iniciar as viagens quando for liberado, devidamente, após atestado laboratorial.

 

RECUPERAR A AUTOESTIMA DE UMA CIDADE FRAGILIZADA POR UMA TRAGÉDIA

A prefeita de palmas, Cinthia Ribeiro, já adota uma postura de planos futuros de governo, falando em recuperar a autoestima de Palmas após a “tragédia” da Covid-19, contando com sua reeleição.

Ela disse ter um plano de governo com um detalhado diagnóstico da Capital, com soluções para os principais desafios para os próximos anos, considerando a pandemia da Covid-19. Entre as propostas apresentadas, ela destacou a importância da implantação do Hospital Escola Municipal e a ampliação do número de equipes de Saúde Família.

Segundo ela, seu plano de governo está estruturado em três grandes eixos: Humanização e Cidadania, Dinamismo Econômico e a Fluidez Urbana, e Governança Institucional e Exequibilidade: “temos que recuperar a autoestima de uma cidade fragilizada por uma tragédia, recuperar um ano letivo, setores da economia e concluir o maior plano de obras simultâneas da história da nossa cidade que está em execução”, ressalta a Cinthia.

 

FUNDO ELEITORAL PARA CAMPANHA

Os diretórios partidários do interior só irão “sentir o cheiro do dinheiro” do Fundo Eleitoral após as candidaturas estiverem registradas, passado o prazo de impugnação, aberta a conta bancária com o CGC, e o candidato tiver seu registro deferido pelo Tribunal regional Eleitoral do estado do Tocantins.

O prestígio do candidato a prefeito, o tamanho da cidade e as condições de vitória, de acordo com as pesquisas internas de cada agremiação partidárias, também serão determinantes.

Aos postulantes, um recado: pelo fato do Tocantins ser o Estado brasileiro com o menor número de eleitores, é bom não “contar com o ovo ainda na galinha”....

 

PATRIMONIO ELEITORAL DOS PARTIDOS NO TOCANTINS

 

Com o fim das coligações proporcionais, as eleições de 15 de novembro próximo serão um marco territorial para os partidos presentes no Tocantins.

Quantos prefeitos e vereadores cada um conseguir eleger será o parâmetro para que, a partir de 15 de novembro cada liderança partidária tenha a real noção da sua influência e força no jogo político do Estado.

Pelo andar da carruagem, muitas lideranças amargarão derrotas antes consideradas impossíveis, conseguindo eleger apenas uma meia dúzia de vereadores

Já os que conseguirem eleger um bom número de candidatos nos oito principais colégios eleitorais do Tocantins, sairão com força política suficiente para garantir um assento à mesa de discussões para a formação da chapa majoritária de 2022, que irá eleger governador, um senador, oito deputados federais e vinte e quatro deputados estaduais.

 

OBSTÁCULOS PARA O “RENDA CIDADÔ

Sem informar qual será o valor do novo benefício e o custo total do programa, o governo de Jair Bolsonaro anunciou na segunda-feira (28/09) a intenção de criar o Renda Cidadã como substituto do Bolsa Família e do auxílio emergencial que termina em dezembro.

O anúncio pouco detalhado veio após meses de expectativa em torno da criação de um novo programa de transferência de renda, visto dentro do governo como um importante trunfo para manter o ganho de popularidade do presidente obtido depois da adoção do auxílio emergencial para proteger os brasileiros mais pobres do impacto da pandemia de coronavírus na economia.

A demora para criação do novo benefício - que originalmente seria chamado de Renda Brasil - decorre da dificuldade de garantir recursos para um programa de elevado custo num momento de crise fiscal e despesas limitadas pelo Teto dos Gastos (regra que restringe o crescimento das despesas à inflação).

"Estamos buscando recursos com responsabilidade fiscal e respeitando a lei do teto. Queremos mostrar à sociedade, ao investidor, que o Brasil é um país confiável", afirmou Bolsonaro, após reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, líderes do governo no Congresso e outros parlamentares para discutir o novo programa.

 

R$ 30 BILHÕES A MAIS

O programa de renda mínima do governo Jair Bolsonaro terá pelo menos R$ 30 bilhões a mais do que o Bolsa Família, afirmou há pouco o senador Marcio Bittar (MDB-AC) ao Estadão/Broadcast. O modelo, batizado de Renda Cidadã, será incluído na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do pacto federativo no Senado, que será incorporada à PEC Emergencial.

O presidente Jair Bolsonaro recebeu nesta segunda-feira, 28, lideranças da base governista no Palácio da Alvorada para debater a renda mínima e a reforma tributária. Após o encontro, o formato do programa deve ser anunciado.

O Bolsa Família atende atualmente a 14,28 milhões de famílias no Brasil. O Orçamento para 2021 está previsto em R$ 34,9 bilhões. Ou seja, com a reformulação, o valor gasto pela União pode passar dos R$ 60 bilhões no próximo ano. Bittar é relator da PEC do Senado e também do Orçamento de 2021 no Congresso. "A proposta que foi desenhado traria pelo menos R$ 30 bilhões a mais", disse o senador à reportagem.

 

PENA MAIOR PARA CABRAL

O Ministério Público Federal recorreu ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) para aumentar as penas do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, de um de seus operadores financeiros, Carlos Miranda, e de seu ex-assessor da Casa Civil Ary Filho, no âmbito de ação penal por lavagem de dinheiro relacionada à Operação Mascate, uma das fases da Calicute. Já condenados a até 13 anos de prisão, os três lavaram mais de R$ 10 milhões recebidos ilicitamente em contratos celebrados pelo governo estadual em 148 situações distintas, como serviços de consultoria inexistentes, compra de veículos e compra de imóveis, diz a Procuradoria.

Segundo o MPF, por meio da delação de Adriano Martins, proprietário da Eurobarra, Americas Barra e Imbra, foi apurado Ary Filho era o responsável pela entrega de dinheiro em espécie ao colaborador, que posteriormente utilizava a quantia para pagar os serviços fictícios e adquirir os carros e imóveis em nome de suas próprias empresas e repassar de volta aos acusados.

 

 

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-504.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias