COLUNA FIQUE POR DENTRO

Posted On Sexta, 17 Julho 2020 07:06
Avalie este item
(0 votos)

CNPJ DE PORTO NACIONAL TEM “PESO”

Circulou no portal de notícias da nossa Associação de Veículos de Comunicação do Tocantins, que uma das empresas vencedoras da licitação publicitária da prefeitura de Palmas, só concederá anúncios para empresas de comunicação com CNPJ e endereço de Palmas.

O Paralelo 13, com 32 anos de circulação, com sede sempre no mesmo endereço, em Porto Nacional, com o mesmo diretor-presidente, só emitiu nota fiscal de faturamento para Palmas na gestão do ex-prefeito Odir Rocha, e continuará sem “beijar o anel” de nenhuma empresa de comunicação, muito menos de gestores públicos municipais.

Essa decisão é mais que um “muito obrigado” à essa empresa.  É a manutenção da nossa integridade moral e da nossa filosofia de não nos submeter a qualquer “beija anel”.

Mas o tempo será testemunha e avalista do peso e da importância que tem o CNPJ de um veículo de comunicação dos mais tradicionais do Estado e sediado, com muita honra, na “Capital da Cultura do Tocantins”.

Basta aguardar...

 

CINTHIA RIBEIRO PODE MORRER PELA BOCA

As “mordidas” da prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro, do PSDB de Dória e Alckmin, nos laços que a unem (uniam?) ao senador Eduardo Gomes, podem ter “trincado” esses laços, segundo apontaram fontes de Araguaína.

Segundo essas pessoas, ao alfinetar “com um murro no estômago” nas redes sociais o prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, amigo/irmão de longa data de Eduardo Gomes, considerado o melhor gestor do Estado, Cinthia atingiu, por tabela, o senador tocantinense, principalmente ao fazer insinuações que remetem ao governo de Jair Bolsonaro, do qual Gomes é líder no Congresso Nacional, o que tem garantido muitos recursos ao Tocantins e à Palmas, mais especificamente.

Cinthia pode estar “mordendo a maçã do pecado” e ser contaminada negativamente.

Vale lembrar que, uma vez cortados os laços, segundo essas fontes, será necessário muito tempo para que a ferida cicatrize.

 Tempo esse, que é muito curto até as eleições municipais deste ano.

Para bom entendedor, meia palavra bas....

 

CINTHIA DESPRESTIGIA VEREADOR FOLHA

O não comparecimento da prefeita Cinthia Ribeiro ao Encontro do Diretório Municipal do Patriota de Palmas, que tem 32 pré-candidatos a vereador, demonstrou uma total falta de prestígio ao presidente municipal, vereador Folha e aos pré-candidatos que estarão (?) em sua chapa à reeleição.

Cinthia, que é candidata à reeleição, “terceirizou” sua presença, enviando seu competente secretário de Governo, Carlos Braga, em seu lugar.

Recentemente, ao contrário do que fez com o vereador, Cinthia participou de um encontro de pastores

Vale lembrar à prefeita que subestimar a força dos humildes costuma só aumentar a altura do “tombo”, como já presenciamos em situações semelhantes na política palmense.

 

AVISANDO DE NOVO

A conjunção de fatores formada pela sucessão municipal e a liberação de recursos específicos para o enfrentamento da pandemia de Covid-19 pode levar muito “peixe grande” a ver o sol nascer quadrado.

Indícios de compra de milhares de insumos da área da saúde com valores maiores que os praticados para outros municípios de outros estados e transferências bancárias fracionadas em território tocantinense podem já estar sendo checados pelas autoridades federais, que estão monitorando e rastreando esses recursos 24h por dia.

Vem “bucha” pela frente!!

 

ALCKIMIN, DO PSDB DE CÍNTHIA RIBEIRO, NA MIRA

O ex-governador de São Paulo  Geraldo Alckmin (PSDB) foi indiciado pela Polícia Federal (PF) na tarde desta quinta-feira (16) por Caixa 2, lavagem de dinheiro e corrupção passiva, segundo a GloboNews. Além dele, o ex-tesoureiro de campanha do PSDB Marcos Monteiro também foi indiciado.

O indiciamento de Alckmin , que foi governador entre 2001 e 2006 e de 2011 a 2018, ocorre no inquérito que investiga doações eleitorais da empreiteira Odebrecht.

O inquérito está no Ministério Público de São Paulo (MPSP). Cabe agora ao órgão decidir se irá fazer novas solicitações para a PF, para que a investigação se aprofunde, ou arquivar a denúncia de lavagem de dinheiro contra os dois.

 

WITZEL, TAMBÉM

O Tribunal de Justiça negou o pedido do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, para que o processo de impeachment que tramita na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) seja suspenso. A defesa do governador alegou que a Alerj praticou “ato ilegal e violador de garantias fundamentais” no processo.

O processo de impeachment foi aprovado por unanimidade, recebendo votos favoráveis de 69 dos deputados estaduais presentes à sessão, pelo crime de responsabilidade, no dia 10 de junho deste ano.

Witzel é suspeito de envolvimento em fraudes na contratação de equipamentos e insumos para o setor de saúde do estado. O governador nega as acusações.

 

CARTÓRIOS PROTEGEM IDOSOS

Os cartórios de todo o país passaram a monitorar tentativas de violência patrimonial ou financeira contra idosos durante a pandemia de covid-19.

A partir de agora, funcionários dos estabelecimentos estarão atentos aos procedimentos envolvendo antecipação de herança, venda de imóveis, movimentação bancária e de benefícios e qualquer outro caso relacionado a bens e recursos sem autorização do idoso.

O trabalho faz parte da campanha nacional Cartório Protege Idosos, promovida pela Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR). Ao notarem algum indício de coação do idoso durante procedimento no cartório, os funcionários deverão comunicar a situação à polícia, à Defensoria Pública ou ao Ministério Público.

A medida foi adotada a partir da Recomendação 46, emitida no mês passado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Após receber informações do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos sobre o aumento dos casos de violência nos últimos anos, o CNJ sugeriu a aplicação de medidas preventivas para a coibir a prática de abusos contra pessoas idosas. O cartórios são fiscalizados pelo Judiciário.

 

2 MILHÕES DE INFECTADOS

Uma explosão de infecções nos Estados do Sul e do Centro-Oeste colocou o Brasil a caminho de acumular o segundo milhão de casos de Covid-19 em menos de um mês, em um rápido avanço da doença marcado por um alarmante patamar de mortes equivalente a seis acidentes de avião em média a cada dia.

Depois de levar quase quatro meses para atingir o primeiro milhão de casos de coronavírus —da primeira infecção, confirmada em 26 de fevereiro, até 19 de junho—, o Brasil deve passar dos 2 milhões em apenas mais 27 dias, caso registre ao menos 33.252 casos nesta quinta-feira, conforme esperado.

Junto com o avanço dos casos pelo país, veio um novo platô superior a 1 mil mortes registradas por dia em média, que ocorre desde o princípio de junho. Com isso, o Brasil passou dos 75 mil óbitos em decorrência da Covid-19, com a taxa de mortalidade indo de 103 por 1 milhão de habitantes em meados de maio para 359 por 1 milhão atualmente.

 

NOVO IMPOSTO?

O vice-presidente Hamilton Mourão avaliou ontem (16,) que um novo imposto “baixo”, com destinação específica e vinculado à renda mínima e às negociações sobre a desoneração da folha de pagamento teria chances de aprovação no Congresso Nacional.

Mourão negou que a ideia do tributo encaixe-se nos moldes da antiga CPMF. Acrescentou, ainda, que se aprovado, o imposto traria uma “velocidade maior na busca do equilíbrio fiscal” e poderia dar espaço ao governo para tocar programas sociais e investimentos públicos.

O vice-presidente disse acreditar, ainda, que a sugestão poderia contar com o apoio do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), caso seja colocada nas condições que descreveu.

Maia tem sido um crítico da CPMF e em declarações recentes reforçou a posição.

 

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-502.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias