CENTRÃO NUNCA “SE CASOU” POLITICAMENTE COM NENHUM PRESIDENTE DA REPÚBLICA JURANDO FIDELIDADE ETERNA

Posted On Terça, 01 Junho 2021 06:28
Avalie este item
(0 votos)
Centrão com maioria dos votos dar as cartas no plenário Centrão com maioria dos votos dar as cartas no plenário

O chamado “centrão” é formado por um grupo de deputados federais pertencentes a diversos partidos de direita e de centro-direita.  Muitos desses parlamentares enfrentam problemas com a Justiça, com processos por atos não republicanos, assim como dirigentes dos partidos aos quais pertencem, alguns em pleno exercício de seus mandatos na Câmara e no Senado

 

Por Edson Rodrigues

 

Pois esse mesmo centrão, que no momento apoia o governo de Jair Bolsonaro, mais especifica e fortemente na Câmara Federal, onde são maioria, reúne boa parte dos mesmos partidos que apoiaram e desapoiaram, de acordo com a conveniência e o caminho dos votos, os ex-presidente Lula, Dilma Rousseff e Michel Temer – este último sabe bem o preço que teve que pagar para abortar um impeachment contra si.

 

Ex-presidentes Fernando Collor, Sarney, Lula, Dilma e FHC

 

Mesmo sabendo desse perigo “iminente”, o presidente Jair Bolsonaro não viu outro jeito de manter seu mandato politicamente viável, e deu assento aos políticos do centrão em seus ministérios e até no Palácio do Planalto.

 

Agora, enfrenta dois reveses em um curto espaço de tempo.  O primeiro, foi a não aceitação, por parte do presidente do PP, Ciro Nogueira, da filiação do próprio Bolsonaro em seu partido.  O segundo, foi a entrevista que deu, logo depois, para o jornal Valor Econômico, muito conceituado entre agropecuaristas, empresários e investidores internacionais, afirmando que “se a eleição fosse hoje, Bolsonaro não se elegeria” para, logo depois, elogiar o ex-presidente Lula, com quem goza de boa convivência.

 

 

As declarações de Ciro Nogueira foram mais que um “cartão amarelo” para o presidente Jair Bolsonaro.  Foi um cartão “laranja”, bem próximo do vermelho.

 

AMEAÇA REAL

 

Juntando as declarações de Ciro Nogueira com o fato da simples hipótese da filiação de Jair Bolsonaro ao Patriota, seguindo seu filho, senador Flavio Bolsonao, ter causado um racha imediato no partido – nanico, diga-se de passagem, que, em qualquer outra situação, comemoraria ganhar um senador e um presidente da República em seus quadros – e a protocolização de uma ação pedindo a anulação da convenção, realizada ainda ontem (31/05), com a alegação de que houve mudanças “rasteiras” no estatuto do partido para permitir a filiação de Flávio Bolsonaro, pode-se afirmar, sem medo de errar, que Jair Bolsonaro está sob uma ameaça real de “desapoio” do centrão.

 

Basta lembrar que Ciro Nogueira, senador da República, é, hoje, o líder do centrão.

 

Precisa mais?

 

Por hoje, é só.  Até breve!

 

 

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-504.png

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias