AS ENTRELINHAS DAS SITUAÇÕES DE LAUREZ MOREIRA, KÁTIA ABREU, EDUARDO GOMES E MAURO CARLESSE

Posted On Quarta, 13 Outubro 2021 06:12
Avalie este item
(0 votos)

Por Edson Rodrigues

 

LAUREZ MOREIRA

 

O ex-prefeito de Gurupi, Laurez Moreira, corre o sério risco de ficar sem partido em pleno voo, em meados de 2022, após convencer a cúpula do Avante, associando sua filiação ao partido com uma candidatura ao governo do Estado e com a formação de uma chapa de bons nomes para deputados estadual e federal.

 

 

O fato é que Laurez pode até ser candidato a governador, mas não tem a força esperada para a formação de chapas que possam ser consideradas competitivas.  Sem contar que os bons nomes já estão apalavrados com outros pretensos candidatos ou irão formar “chapinhas”, sem candidatos à reeleição.

 

Não podemos deixar de citar que o ex-prefeito de Gurupi vem de uma administração muito bem avaliada e está conversando com outros prováveis candidato a governador, inclusive com um forte candidato a vice-governador, e seu partido faz parte de uma Federação Partidária com nomes de candidatos a deputado federal e estadual.

 

Apesar disso, ao que tudo indica, sua candidatura ao governo não decolou.  Seu pleito ao Palácio Araguaia foi enfraquecido depois que seu candidato a prefeito de Gurupi, na sua sucessão, foi derrotado pela candidata do governador, Josi Nunes.

 

Dessa forma, conforme o apurado pelo Observatório Político de O Paralelo 13, apesar de todo o seu patrimônio político, será muito difícil que Laurez se mantenha em dia com seu compromisso junto ao Avante e, caso a cúpula nacional queira ser rígida, o ex-prefeito de Gurupi pode ser apeado da legenda e ficar sem partido e sem condições de concorrer à eleição, ele próprio, como candidato a governador.

 

KÁTIA ABREU

 

Considerada no meio político como determinada, audaz, corajosa e destemida, respeitada por todos, a senadora Kátia Abreu é a presidente da Comissão Provisória do PP no Estado.  Nos últimos dois anos e meio a senadora tocantinense vem fazendo duras, corretas e sérias críticas ao governo do presidente Jair Bolsonaro, sempre que discorda das ações e do andamento dado pelo presidente ao governo federal.

Com a possibilidade de Jair Bolsonaro vir a se filiar no PP, ocasião em que só o fará se tiver poder absoluto para indicar os candidatos a senador em todos os estados, a permanência de Kátia na legenda fica muito difícil.  Primeiro porque o PP tocantinense está repleto de seguidores de Kátia Abreu. Segundo que, mesmo que Bolsonaro avente a possibilidade de indicá-la para uma reeleição, a possibilidade de seus correligionários ficarem incomodados com uma possível trégua para “acomodação de forças”, justamente com quem a senadora rivaliza, é muito grande, e ela pode perder parte do seu patrimônio político, com uma debandada de apoiadores.

 

Com Bolsonaro no PP, qual as chances de Kátia permanecer no partido? Essa é a pergunta que não quer calar nos bastidores da política tocantinense.

 

EDUARDO GOMES

 

O senador Eduardo Gomes, líder do governo Jair Bolsonaro no Congresso Nacional está, hoje, em território tocantinense, mais precisamente na Capital, Palmas, recebendo prefeitos, vereadores, lideranças políticas, empresários, representantes de entidades classistas, do agronegócio e amigos políticos de várias agremiações.

A palavra de ordem para Gomes é articular e oxigenar os prefeitos com o encaminhamento de recursos federais, fruto das suas emendas impositivas e recursos extras do orçamento da União.

 

Eduardo Gomes não aceita falar em sucessão estadual e concentra suas forças em fortalecer as gestões municipais, mantendo aberto o caminho para o fluxo de recursos federais para muitos municípios e para a gestão estadual.

 

Por enquanto, tudo indica que será, realmente, candidato ao governo do Estado, por ter demonstrado muito respeito o reconhecimento dos prefeitos, vereadores e lideranças políticas de diversos municípios de todas as regiões do Tocantins, que se transformou em chamamento para uma candidatura ao governo.

 

 GOVERNADOR MAURO CARLESSE

 

O governador Mauro Carlesse sempre foi um empresário bem sucedido.  Na área da política partidária Carlesse manteve a mesma fama, com um comportamento de poucas palavras e muitos resultados, demonstrando ser uma pessoa de decisão.

Esse perfil dá à Mauro Carlesse um ótimo crédito político.  Tanto é que, desde que se elegeu presidente da Assembleia Legislativa, até hoje, jamais perdeu um companheiro de caminhada política, o que lhe rendeu um grupo sólido, formado por vários deputados estaduais (a maioria na Assembleia Legislativa), dezenas de prefeitos, vereadores e líderes políticos regionais.

 

Nesta quarta-feira, o governador deu a largada no Programa Tocantins Tocando em Frente na Região Sul, na cidade de Talismã.  A previsão é de que todos os municípios do Estado sejam beneficiados.

Esse é um passo importante para uma administração que pretende colocar o seu candidato à sucessão estadual no segundo turno.  No caso, falamos de Sandro Henrique Armando, atual secretário da Fazenda, e principal responsável, junto com sua equipe técnica, pelo momento de equilíbrio econômico por que passa o Tocantins, readequado à Lei de Responsabilidade Fiscal, permitindo investimentos em todas as áreas prioritárias, mantendo fluxo de caixa para os Estado e beneficiando todos os municípios.

 

CONCLUSÃO

 

Com os fatos narrados acima, podemos afirmar, com tranquilidade, que o processo sucessório de 2022 começa a se afunilar de forma natural.

 

A fotografia do momento e dos nomes que se encontram à disposição do eleitor para governador, vice-governador, senador, deputado federal e deputado estadual começa a ficar nítida, restando saber quem apoiará quem, e quem vai participar da chapa de quem.

 

E, pelo visto, isso é coisa só para 2022.

 

Por hoje é só. Até breve.

 

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-504.png

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias