Aras pede ao STF que delação de Sérgio Cabral seja invalidada

Posted On Terça, 11 Fevereiro 2020 15:37
Avalie este item
(0 votos)

Consultado pelo Supremo, MPF se manifestou contra a formalização do acordo em que ex-governador do Rio delata autoridades

 

Por Renato Souza

 

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pretende recorrer da decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que homologou o acordo de delação do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral.

 

O ministro do Supremo decidiu aceitar o contrato firmado entre Cabral e a Polícia Federal. Procurado pelo Correio, na noite desta quinta-feira (06), Augusto Aras confirmou que pretende apresentar recurso para suspender o acordo de colaboração firmado por Cabral.

 

Para ter acesso a benefícios, o ex-governador carioca se comprometeu a devolver R$ 380 milhões recebidos por meio de propina na época em que ele ocupava o cargo de chefe do Executivo do Rio. No entanto, ao contrário do que faz o Ministério Público, a PF não decidiu, no momento da assinatura, quais benefícios seriam concedidos a Cabral. O acordo segue em segredo de Justiça.

 

Aras chegou a se manifestar contra o acordo. De acordo com informações de dentro da PF, integrantes do Poder Judiciário também são citados, entre eles ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O ex-governador foi condenado 13 vezes no âmbito da Lava-Jato e suas penas, somadas, chegam a 380 anos de cadeia. Algo que deve mudar agora com a delação homologada. Sérgio Cabral está preso desde novembro de 2016, por força de um mandado de prisão preventiva.  

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-504.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias