Educação cria grupos de trabalho para acompanhar proposta pedagógica nas escolas

Posted On Domingo, 07 Mai 2017 06:38
Avalie este item
(0 votos)

A secretária de Estado da Educação, Juventude e Esportes, professora Wanessa Zavarese Sechim, apresentou, durante reunião com diretores Regionais de Educação, dois grupos de trabalho responsáveis pelo acompanhamento da implementação da proposta pedagógica e dos resultados alcançados nas unidades escolares. A reunião com diretores regionais está sendo realizada nesta sexta-feira, 6, na Assembleia Legislativa do Tocantins.

 

Por Josélia de Lima

Fotos: Juliana Carneiro

A secretária Wanessa lembrou os três pilares da Proposta Pedagógica da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc): o Calendário Letivo Pedagógico, a Estrutura Curricular e os conteúdos definidos. “A estrutura curricular foi elaborada conforme o diagnóstico educacional realizado pela Seduc e responde às necessidades apontadas. Por isso, é importante o monitoramento das ações para que a proposta alcance os objetivos almejados”, frisou Wanessa.
Um dos grupos de trabalhos será responsável para gerar relatórios do Sistema de Gestão Escolar (SGE), fazer a leitura da situação das escolas e estabelecer planos de ação. O segundo grupo de trabalho é destinado a oferecer às Diretorias Regionais de Educação (DRE) uma assistência técnica para o monitoramento das informações sobre o desenvolvimento da proposta pedagógica nas unidades de ensino.
Participam da reunião os diretores regionais de Educação, assessores pedagógicos, supervisores e técnicos do SGE das 13 DREs.
Durante a reunião foram apresentados modelos de relatórios gerados pelo SGE. O superintendente de Tecnologia e Inovação da Seduc, Wilson Alves Pereira, lembrou aos educadores a necessidade de acompanhar, de forma simultânea, os dados de suas escolas e das DREs. “É importante que todos os professores insiram seus dados no sistema SGE e que as escolas tenham o hábito de, todos os dias, observarem a sua realidade no SGE”, disse.
Proerd
A coordenadora do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) do Tocantins, coronel Silvana Benvindo, apresentou um relatório de ações dos 15 anos de atuação do Programa.
Nesses 15 anos, o Proerd atendeu 351 mil crianças e adolescentes e 4.287 pais.  O Programa atende a 200 escolas por semestre e 20 mil estudantes. Silvana mostrou um comparativo de gastos públicos com tratamento de usuários de drogas e com o trabalho preventivo realizado pela Polícia Militar. Por ano, são gastos com um aluno atendido pelo Proerd, apenas R$ 8,76. “Contamos com muitos parceiros para a realização do nosso trabalho e temos estatísticas que comprovam a eficácia de 98% do programa na vida de crianças e jovens. É um resultado grandioso. É um cidadão que está sendo preparado para dizer não às drogas”, esclareceu.
“O Proerd não diz que faz. O Proerd vai à escola e executa suas ações e, isso, faz a diferença nas unidades escolares. É um grande colaborador das nossas escolas”, frisou a secretária.
Na ocasião, a professora Wanessa recebeu uma placa de homenagem “Amigo do Proerd”.
Experiência de escola
Na Escola Estadual Juscelino Kubitschek, localizada no setor Travessia, em Colmeia, a adoção das propostas pedagógicas elaboradas pela Seduc trouxe algumas modificações na estrutura curricular. A diretora Diana Rodrigues da Cunha Oliveira contou que, por ser uma escola rural, foi criada a disciplina Saberes do Campo. “Percebemos que melhorou a leitura dos alunos e que eles estão mais animados em estudar assuntos ligados ao campo. Fizemos uma reunião com os pais, e percebemos uma mudança estratégica, esses estudantes não estão pensando em sair de sua localidade, eles estão aprendendo para viver melhor no ambiente onde vivem”, contou a gestora Diana.
A arte na escola
Com o resultado do programa e das ações de 2016 e 2017, a Seduc contratou um professor de música para a escola. O aprendizado e as habilidades musicais foram apresentados pelo estudante Wistley Borges, de 15 anos, aluno da 2ª série do ensino médio. Ele disse que aprendeu a cantar na igreja, mas foi na escola que ele teve oportunidade para se apresentar e aprimorar a arte musical. “Cantei na abertura dos jogos estudantis e estou me sentindo feliz por mostrar minha música para pessoas de todo o Estado”.
Propostas que fizeram a diferença Os educadores comentaram que as propostas pedagógicas ajudaram a promover um direcionamento das ações realizadas pelas escolas. Magda Carvalho, do setor de Fortalecimento da Gestão da DRE de Tocantinópolis, ressaltou a importância dos temas em debate na reunião. “É muito importante que a escola perceba que somos parceiros nesse processo de ajudar a melhorar a aprendizagem. Na nossa regional, percebemos um novo ânimo por parte dos professores”, comentou.
O diretor da DRE de Guaraí, Ermilson Artênio Pereira da Silva, comentou a eficiência do monitoramento. “Esse momento é importante para ajudar as nossas ações, fazer um replanejamento e vamos sair da reunião com mais subsídios para auxiliar os nossos educadores”.
A diretora regional de Araguaína, Maria Florismar do Espírito Santo, frisou a necessidade desse acompanhamento simultâneo do trabalho realizado pelas escolas. “Essa proposta pedagógica da Seduc passa uma credibilidade aos professores, temos foco, metas e, com isso, as pessoas que atuam nas unidades escolas estão mais motivadas”.    
]

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-504.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias